Home»VIDA»CARREIRA»Discutir com colegas afeta os respetivos filhos, revela estudo

Discutir com colegas afeta os respetivos filhos, revela estudo

O mau ambiente no local de trabalho foi associado a comportamentos parentais mais negativos em casa, segundo um estudo realizado nos Estados Unidos da América. E as mulheres são as que mais absorvem estas influências, executando comportamentos mais autoritários e rígidos junto dos seus filhos.

Pinterest Google+
PUB

Quando as pessoas são rudes com os colegas de trabalho ou os tratam mal provavelmente não percebem que as vítimas não intencionais desse confronto possam ser os filhos desses colegas. Isto porque, segundo uma investigação apresentada pela Associação Americana de Psicologia, discutir com colegas no local de trabalho traz alguns efeitos colaterais inesperados, nomeadamente sobre os filhos destes, através de práticas parentais mais rígidas e autoritárias que podem ter um impacto negativo nessas crianças.

 

Para Kathryne Dupre, da Universidade de Carleton, comportamentos rudes, desrespeitosos e indelicados no local de trabalho acabam por mostrar uma falta de respeito pelo sentimento dos outros. A este tipo de comportamento chama-se incivilidade e muitas vezes não é tido em conta pelo empregador. «Agora sabemos, com base em várias evidências empíricas, que os resultados da incivilidade no local de trabalho são vastos e negativos», disse Dupre. Este tipo de comportamentos faz com que a pessoa que sofre acabe por apresentar níveis mais baixos de esforço e desempenho no trabalho, níveis mais altos de stress e pouca atenção.

 

VEJA TAMBÉM: SABE O QUE OS SEUS COLEGAS DE TRABALHO PENSAM SOBRE SI?

 

Mas para saber o que a incivilidade provoca em casa, um grupo de investigadores conduziu uma pesquisa, online, com cerca de 146 mães trabalhadoras e respetivos maridos. Estas mães foram questionadas sobre a sua experiência com incivilidade no local de trabalho, bem como sentimentos de eficácia como progenitor. Aos maridos foi pedido que relatassem os comportamentos negativos das mães, tanto autoritários quanto permissivos.

 

Aqui foi encontrada uma ligação entre os comportamentos rudes no trabalho e um maior autoritarismo em casa. Este tipo de pais autoritários costuma criar grandes expectativas em relação aos filhos e esperam que estes sigam as suas regras sem questionar. Estes pais tendem a gerir quase todos os aspetos da vida de seus filhos, valorizando a disciplina em relação à diversão. «Ao descobrir como este mau trato no local de trabalho interfere nas interações mãe-criança, esta pesquisa também fala com um grupo de vítimas destas agressões não reconhecidas, as crianças», conta Kathryne Dupre.

 

VEJA TAMBÉM: DRAMA QUEEN? MEÇA O SEU NÍVEL DRAMÁTICO SEGUNDO UM ESTUDO

«Estas pesquisas sugerem que uma educação mais autoritária está ligada a um estilo de parentalidade mais negativo. Este estilo leva a que criança possa misturar o sucesso e a obediência com o amor, exibindo comportamentos agressivos fora de casa, sendo medroso ou excessivamente tímido em relação aos outros, tendo dificuldade em situações sociais devido à falta de competências sociais, sofrendo de depressão e ansiedade, e lutando para se autocontrolar», refere a investigadora.

 

Um dos aspetos mais interessantes dos resultados foi o quão difundidos foram os efeitos negativos da incivilidade no local de trabalho, especialmente considerando que, diferentemente dos atos extremos de agressão e violência, esses comportamentos são geralmente considerados como comportamentos desviantes de baixa intensidade, segundo Dionisi. «Esta é uma forma de maus tratos que muitos provavelmente descartam como não efetiva. É desagradável, é frustrante, e pode resumir-se a ver um colega de trabalho a comportar-se como um idiota. Mas as nossas descobertas, no entanto, sugerem que esse comportamento de baixa intensidade pode realmente desgastar o senso de competência dos pais e, como resultado, também pode estar a prejudicar os filhos».

 

VEJA TAMBÉM: PSICÓLOGOS DEFINEM NÚCLEO ESCURO DA PERSONALIDADE: SE TEM UM ASPETO NEGATIVO É PROVÁVEL QUE TENHA OUTROS

 

Os investigadores esperam que o estudo ajude trabalhadores e organizações a compreenderem e a controlarem melhor este tipo de situações que apesar de parecerem inofensivas têm afinal consequências mais profundas.

 

Ninguém disse que é fácil conviver diariamente muitas horas com colegas de trabalho. Por isso, Pamela Eyring, presidente da Escola de Protocolo de Washington, deixa algumas dicas de comportamento em ambientes de trabalho partilhados. Conheça-os na galeria no início do artigo.

Artigo anterior

Saiba qual a importância da vitamina D para a nossa saúde

Próximo artigo

Nutricionistas assinam protocolo para auxiliar na alimentação dos bombeiros