Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Dino Parque expõe novos fósseis descobertos em Portugal

Dino Parque expõe novos fósseis descobertos em Portugal

O Plesiopharos moelensis habitou o nosso planeta há cerca de 195 milhões de anos e é o mais antigo e completo exemplar da Península Ibérica. O ‘monstro marinho’ tem uma silhueta parecida ao célebre monstro do Lago Ness.

Pinterest Google+
PUB

O Dino Parque da Lourinhã vai ter uma nova exposição temporária. A partir do dia 13 de agosto, e até ao fim do verão, fósseis do Plesiopharos moelensis descobertos em Portugal vão estar em exibição pela primeira vez.

 

O Plesiopharos moelensis, uma nova espécie de réptil marinho da era dos dinossauros, habitou o nosso planeta há cerca de 195 milhões de anos e é o mais antigo e completo exemplar da Península Ibérica. Mas o fascínio por este réptil não se fica pela sua antiguidade: o Plesiopharos tem uma forma que o associa facilmente à silhueta do célebre monstro do Lago Ness.

 

Não perto de um lago, mas perto do oceano, os fósseis foram descobertos por dois colecionadores, Victor Teixeira e António Domingos, em São Pedro de Moel, no concelho da Marinha Grande.

 

VEJA TAMBÉM: Imagens do Dino Parque

 

Investigação na Lourinhã

Doados ao Museu da Lourinhã, os fósseis foram preparados no laboratório do Dino Parque por uma equipa internacional de paleontólogos e geólogos ligados a várias instituições.

 

O trabalho, publicado na revista Acta Palaeontologica Polonica, foi liderado por Simão Mateus, Diretor Científico do Dino Parque, e teve como primeiro autor Eduardo Puértolas-Pascual, investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

 

Simão Mateus destaca a importância da investigação: “O Plesiopharos é o mais antigo e completo plesiossauro da Península Ibérica e vai ser um fóssil de destaque na compreensão da evolução dos répteis marinhos nesta zona do Atlântico que, à altura, se estava a formar. Sinto-me muito orgulhoso de ter coordenado a investigação do Plesiopharos, o primeiro fóssil completamente investigado no Dino Parque e, com certeza, o primeiro de muitos.”

 

Para Luís Rocha, diretor geral do Dino Parque, é um orgulho poder exibir uma descoberta tão relevante: “Foi sempre um dos objetivos mais importantes para o nosso Parque podermos contribuir para que a Lourinhã e Portugal continuem a ser uma das principais localizações de achados a nível mundial”. O diretor sublinha ainda que a descoberta e a exposição são “um incentivo para continuar a apoiar a ciência da paleontologia em Portugal”.

 

A exposição temporária dará a conhecer não apenas os fósseis do Plesiopharos moelensis, mas também a evolução dos plesiossauros e outros répteis marinhos da era dos dinossauros, as primeiras descobertas e a importância geológica da área de São Pedro de Moel.

O maior museu ao ar livre da Europa

Inaugurado em fevereiro de 2018, o Dino Parque Lourinhã é o maior museu ao ar livre do nosso país e da Europa, tanto em área expositiva, como em dimensão.

 

Com 180 modelos de animais à escala real, o Dino Parque proporciona uma verdadeira viagem de milhões de anos através de cinco percursos distintos: Paleozoico, Triásico, Jurássico, Cretácico e Monstros Marinhos.

 

O Paleo Camp é uma nova área de diversão no Dino Parque da Lourinhã onde os mais pequenos vão poder tornar-se verdadeiros paleontólogos por um dia numa aventura de exploração a escavar fósseis e a procurar tesouros jurássicos.

 

Todos os dias há atividades e palestras com os Paleontólogos e Preparadores do Dino Parque da Lourinhã no pequeno anfiteatro do Paleo Camp. Este acampamento jurássico complementa a oferta de lazer do parque de dinossauros.

 

O Dino Parque da Lourinhã foi, pelo terceiro ano consecutivo, distinguido com o selo “Cinco Estrelas Regiões” na categoria Parques Temáticos do distrito de Lisboa e ainda um prémio dos Travellers Choice Awards da Trip Advisor.

 

Artigo anterior

Psoríase: uma doença que vive além da pele

Próximo artigo

Hidratar e nutrir: alimentos a privilegiar durante o verão