Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Diana Gaspar: «A forma como nos sentimos com uma pessoa reflete o tipo de relação que temos»

Diana Gaspar: «A forma como nos sentimos com uma pessoa reflete o tipo de relação que temos»

É psicóloga e acaba de lançar o livro «Atrai pessoas fantásticas para a tua vida». Como pode uma pessoa perceber se está numa relação tóxica? O que é preciso fazer para nos rodearmos das melhores pessoas? Em onze passos, a autora ensina a atrair pessoas fantásticas e a criar relações saudáveis baseadas no respeito mútuo, onde vale a pena investir tempo e energia.

Pinterest Google+

Acaba de lançar o livro «Atrai pessoas fantásticas para a tua vida».  O que a motivou a publicar este livro?

A minha grande motivação para escrever nasce pelo facto de gostar imenso de escrever, aliada à ideia de poder ajudar pessoas que querem mudar alguma coisa na sua vida. Acredito que os livros têm uma influência determinante na tomada de consciência e nas transformações que vamos vivendo ao longo da vida. Este livro nasce mais especificamente por considerar que há um padrão de crenças que nos faz ter e desenvolver determinadas relações nas nossas vidas que nos vão provocando sofrimento.

 

Há realmente tendência para atrairmos o mesmo tipo de pessoas? Porquê?

Tendemos a comunicar com aqueles que comunicam da mesma forma e que têm as mesmas necessidades. Isto faz com que relações com determinado tipo de pessoas tenham mais probabilidade de acontecer. Se quiser coscuvilhar alguma coisa sobre alguém, por exemplo, só o vai fazer com quem sabe que lhe dá espaço para falar da vida de outros e que vai alimentar essa forma de estar… Assim como acontece em relação a este comportamento, acontece com outros. Alimentamo-nos através das relações também e só nos mantemos nelas se elas nos satisfizerem.

 

Veja também:  O que quer para a sua vida?

 

E quando este padrão é maléfico, como se pode reverter?

Se temos o poder de escolher o que se mantém ou não nas nossas vidas, quando sentimos que algum tipo de relação nos faz mal porque nos sentimos mal, aí podemos escolher o que fazer. É igualmente importante perceber se esse padrão está em nós, ou o que há em nós que nos faz alimentar esse padrão dentro das relações que vamos construindo.

 

Como pode uma pessoa identificar uma relação tóxica?

Há uma ideia que gosto imenso que li uma vez num livro do Tony Robins – a forma como nos sentimos depois de estarmos com os outros é um reflexo do tipo de relação que temos com essa pessoa. Se nos sentimos leves, pesados, angustiados, alegres, com energia ou com ausência dela, se nos sentimos respeitados ou não, se sentimos que temos espaço para ser autênticos e verdadeiros, se nos sentimos amados ou não…,no entanto, se estamos numa relação tóxica há uma parte de nós que “intoxica” ou que se deixa intoxicar… Mais importante do que identificar nos outros, é identificar em nós o que existe dentro de nós que nos faz manter nessas relações…

Artigo anterior

A penthouse de Tommy Hilfiger que não se consegue vender

Próximo artigo

Os verdadeiros nomes das estrelas