Home»FOTOS»Dia Mundial da Terra: um alerta para a extinção das espécies

Dia Mundial da Terra: um alerta para a extinção das espécies

O mundo está a enfrentar a maior taxa de extinção desde o desaparecimento dos dinossauros há mais de 60 milhões de anos. Mas, ao contrário dos dinossauros, a rápida extinção de espécies nos dias de hoje é o resultado da atividade humana. Em 2019, o Dia Mundial da Terra, assinalado a 22 de abril, pretende precisamente alertar para este grave problema que tem de ser travado.

Pinterest Google+

«Todos os seres vivos têm um valor intrínseco, e cada um desempenha um papel único na complexa teia da vida. Devemos trabalhar juntos para proteger as espécies ameaçadas de extinção: abelhas, recifes de corais, elefantes, girafas, insetos, baleias e muito mais», apela a Eart Day Network (EDN), plataforma ambiental que trabalha com mais de 75 mil parceiros em quase 192 países para defender o ambiente, neste Dia Mundial da Terra, assinalado a 22 de abril.

 

O mundo está a enfrentar uma extinção em massa de espécies. Todas as espécies de mamíferos, pássaros, répteis, anfíbios, artrópodes (insetos e aracnídeos), peixes, crustáceos, corais e plantas têm diminuído, em muitos casos, severamente, ressalta a EDN. «A civilização humana tem tido um impacto negativo sobre a maioria dos seres vivos», revela no seu site.

 

VEJA TAMBÉM: FORMAS DE AJUDAR (SEMPRE) O AMBIENTE

 

A destruição mundial sem precedentes e rápida redução das populações de plantas e animais selvagens estão diretamente ligados às causas impulsionadas pela atividade humana: a mudança climática, o desmatamento, a perda de habitat, o tráfico e caça furtiva, a agricultura insustentável, a poluição e pesticidas são alguns dos causadores dessas extinções.

 

E os números são alarmantes. Um estudo realizado em 2017 sugere que as populações de insetos diminuíram em mais de 75% na Alemanha nos últimos 28 anos. Isto é muito grave, pois 80% das plantas selvagens dependem das abelhas e de outros insetos para a polinização, e 60% das espécies de aves dependem dos insetos como fonte de alimentos. Um outro estudo indica que, nos últimos 20 anos, cerca de 75% de todas as espécies de baleia dentadas, tais como golfinhos, botos, e 65% das espécies de baleia barbatana (bossa, azul), e 65% das espécies de pinípedes (leões do mar) foram afeitados pela captura secundária em operações de pesca a nível mundial.

 

VEJA TAMBÉM: O PAPEL DO AMBIENTE NO NOSSO BEM-ESTAR

 

Conforme relatado pela União Internacional para Conservação da Natureza, houve 849 espécies que desapareceram desde 1500. Mais impressionante, esse número subestima muito os milhares de espécies que desapareceram antes que os cientistas fossem capazes de identificá-los. Estes são alguns números alarmantes. Conheça mais na galeria acima.

 

O primeiro Dia da Terra foi assinalado a 22 de abril de 1970 nos Estados Unidos da América. Hoje, o dia é assinalado globalmente, mobilizando 200 milhões de pessoas em mais de 190 países. Saiba mais aqui.

Artigo anterior

Hiperplasia Benigna da Próstata: uma doença mais habitual e menos conhecida que o cancro da próstata

Próximo artigo

Quivi: porque deve comer um todos os dias na primavera