Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Dia Mundial da Meteorologia: o papel dos oceanos na regulação do clima

Dia Mundial da Meteorologia: o papel dos oceanos na regulação do clima

Quando se trata de tempo e clima, a maioria das pessoas pensa nas alterações que estão a acontecer ao nível da atmosfera. Mas são os oceanos os principais motores do clima no mundo, alerta a Organização Meteorológica Mundial no ano em que arranca também a Década das Nações Unidas da Ciência dos Oceanos.

Pinterest Google+
PUB

Os oceanos têm um papel vital na regulação do clima e devem ser colocados no centro da mesa quando se trata de estudar e perceber o que se passa na atmosfera, destaca a Organização Meteorológica Mundial (OMM) no Dia Mundial da Meteorologia, assinalado a 23 de março.

 

Ao cobrirem cerca de 70% da superfície da Terra, os oceanos são o principal motor do clima no mundo, desempenhando um papel central na mudança climática. O oceano também é um grande motor da economia global, transportando mais de 90% do comércio mundial e sustentando 40% da humanidade que vive a 100 km da costa.

 

Por isso mesmo, o tema deste ano do Dia Mundial da Meteorologia, ‘O oceano, o clima e o tempo’, celebra o foco da OMM em ligar estas variáveis ao sistema terrestre. Este ano também marca o início da Década das Nações Unidas da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável (2021-2030).  A Década galvaniza esforços para reunir a ciência dos oceanos – através de ideias inovadoras e transformadoras – como base de informações para apoiar o desenvolvimento sustentável.

 

VEJA TAMBÉM: SAIBA O QUE OS OCEANOS REPRESENTAM PARA A VIDA NA TERRA

 

A OMM, como agência especializada das Nações Unidas para o clima pretende apoiar a compreensão da ligação inextricável entre oceanos, clima e tempo. «Isto ajuda-nos a compreender o mundo em que vivemos, incluindo os impactos das mudanças climáticas, e a ajudar os membros a fortalecer a sua capacidade de manter vidas e propriedades seguras – reduzindo o risco de desastres – e mantendo economias viáveis», sustenta a OMM em comunicado.

 

Como o oceano molda o tempo e o clima

Mais de 90% do calor extra preso provocado pelas emissões de carbono da humanidade é armazenado nos oceanos, sendo que apenas cerca de 2,3% aquece a atmosfera, enquanto o resto derrete neve e gelo e aquece a Terra.

 

A forte ligação do oceano com a atmosfera torna a compreensão de seu comportamento vital para a previsão do tempo e das condições climáticas. O oceano absorve a maior parte da energia solar que chega à Terra. Como o Equador recebe muito mais energia solar do que os polos, formam-se enormes correntes oceânicas horizontais e verticais que fazem circular esse calor por todo o planeta, explica a OMM.

 

VEJA TAMBÉM: ÁGUA É VIDA E É ESCASSA. VEJA COMO A POUPAR EM CASA

 

O oceano aquece e esfria mais lentamente do que a atmosfera, portanto, o clima costeiro tende a ser mais moderado do que o clima continental, com menos extremos quentes e frios. A evaporação do oceano, especialmente nos trópicos, cria a maioria das nuvens de chuva, influenciando a localização das zonas húmidas e secas na Terra. A enorme quantidade de energia capturada pelo oceano cria as tempestades e eventos extremos mais poderosos e destrutivos do mundo, como ciclones.

 

O excesso de calor contribui para o aumento do nível do mar devido à expansão térmica, áreas oceânicas anóxicas (sem oxigénio), derretimento do gelo marinho, ondas de calor marinhas, branqueamento de corais e outros ambientes inóspitos para a vida marinha. Inexoravelmente, grande parte do calor recém-absorvido pelo oceano fluirá para a atmosfera ao longo dos próximos séculos.

 

 

Artigo anterior

Hora de verão: comece a preparar a transição

Próximo artigo

12 organizações mundiais alertam para agravamento da situação humanitária na Etiópia