Home»BEM-ESTAR»NUTRIÇÃO»Dia Mundial da Alimentação: saúde no prato, para todos!

Dia Mundial da Alimentação: saúde no prato, para todos!

O Dia Mundial da Alimentação celebra-se a 16 de outubro em mais de 150 países e foi criado com o intuito de sensibilizar a população para uma alimentação saudável.

Pinterest Google+
PUB

Aliada à prática de exercício físico, a alimentação variada e equilibrada é um dos principais determinantes em saúde, prevenindo uma panóplia de doenças crónicas como a diabetes e as doenças cárdio-cerebrovasculares (destacando-se o Acidente Vascular Cerebral, vulgo AVC, pela sua taxa de morbimortalidade).

 

No entanto, a rápida urbanização, o estilo de vida stressante e a maior produção de alimentos processados parecem constituir barreiras a um padrão alimentar saudável, pelo que, atualmente, se verifica um maior consumo de alimentos calóricos, ricos em gorduras, em açúcar e em sal.

 

Pelo contrário e em concomitante, as estatísticas corroboram uma menor ingestão de vegetais e frutas, bem como de alimentos ricos em fibra.

 

VEJA TAMBÉM: COLESTEROL ELEVADO? LIVRE-SE DELE!

 

A composição exata de um padrão alimentar saudável é variável tendo em conta fatores como as características individuais (idade, género, grau de atividade física, intolerâncias alimentares), a cultura na qual o indivíduo se insere e a disponibilidade local de alimentos.

 

Contudo, a base da alimentação saudável é transversal: pressupõe-se uma dieta variada, equilibrada, rica em vegetais, fruta, cereais e leguminosas, vitaminas e sais minerais e pobre em gorduras.

 

Em Portugal, recomenda-se a dieta mediterrânica, privilegiando-se o consumo de pescado de proximidade (atum, carapau, cavala e sardinha) e de carnes brancas, minimizando-se a ingestão de carnes vermelhas.

 

Os cuidados com a alimentação devem ser implementados o quão antes: a amamentação, a título de exemplo, desempenha um papel crucial no desenvolvimento cognitivo do bebé, para além de todos os seus benefícios a longo prazo, dos quais se destaca a redução do risco de excesso de peso e obesidade.

mãe a amamentar bebé

Sempre que possível, o leite materno deve constituir o principal alimento nos primeiros seis meses de vida. Posteriormente, as crianças deverão ser estimuladas a fazer boas escolhas alimentares.

 

Constituindo a maioria dos alimentos, a água é absolutamente fundamental, pelo que, em 2023, o tema do Dia Mundial da Alimentação é “Água é vida, Água é Alimento. Não deixar ninguém para trás”, numa tentativa de enaltecer a importância da água como pilar da alimentação, mas também de sensibilizar a população para a gestão adequada do seu consumo.

 

É importante utilizarmos este recurso de forma sábia, fazendo decisões responsáveis e conscientes de que a água não é um bem garantido (na verdade, mais de 2 biliões de pessoas vivem em países nos quais se verifica a dificuldade no acesso a recursos hídricos). Devemos escolher alimentos sazonais e frescos e, sempre que possível, encontrar estratégias que permitam a sua reutilização, reduzindo o desperdício alimentar e, por conseguinte, a poluição da água.

 

Assim, relembre-se: Nós somos o que comemos! Faça escolhas saudáveis e, em caso de dúvidas, fale com a sua equipa de saúde familiar e/ou com o seu nutricionista.

 

Por Tiago de Castro Almeida

Médico Interno de Medicina Geral e Familiar

Artigo anterior

Adeus gripes e constipações: o remédio caseiro de uma nutricionista

Próximo artigo

Abóbora: saiba porque a deve integrar na sua alimentação