Home»FOTOS»Dia Internacional Sem Sacos de Plástico: o que está a ser feito para reduzir este flagelo?

Dia Internacional Sem Sacos de Plástico: o que está a ser feito para reduzir este flagelo?

Está declarada a guerra ao plástico. Foi o tema de combate do Dia Mundial do Ambiente deste ano, a 5 de junho, assim como no Dia Mundial dos Oceanos, assinalado a 8 de junho. Agora, a 3 de julho, o objetivo é continuar a chamar a atenção para a necessidade de acabar com a poluição que o plástico traz ao mundo. Conheça algumas medidas que estão a ser tomadas para combater este flagelo.

Pinterest Google+

Segundo a Organização das Nações Unidas 10% da poluição gerada pelos humanos é de produtos de plástico, sendo que metade dos plásticos são utilizados uma única vez. E a disseminação de plástico é de tal ordem que 83% da água potável no mundo contém vestígios de partículas de plástico.

 

Os plásticos constituem 85 % do lixo encontrado nas praias de todo o mundo e chegam, inclusivamente, aos pulmões e à mesa de jantar dos cidadãos, sob a forma de microplásticos, que pairam no ar e se encontram na água e nos alimentos, sendo desconhecidas as suas implicações para a saúde.

 

VEJA TAMBÉM: GARRAFAS DE PLÁSTICO PODEM SER REUTILIZADAS TAL COM AS DE VIDRO

 

Ao mar chegam todos os anos 13 toneladas de plástico. As costas estão cheias de lixo, o fundo do mar está cheio destes resíduos e muitos animais comem-nos e acabam por morrer. E, se não revertermos este nosso modus operandi, a situação vai agravar-se cada vez mais, pois cada plástico leva cerca de 100 anos a degradar-se e já existem toneladas e toneladas de lixo pelo mundo fora.

 

Mais especificamente, os europeus geram, anualmente, 25 milhões de toneladas de resíduos de plástico, das quais menos de 30 % são recolhidas para reciclagem.  O quer fazer? Todos temos de ter um papel ativo, seja reciclando, seja nunca deitando plásticos fora dos recetores de lixo, seja optando por outros materiais sempre que tal for possível.

 

VEJA TAMBÉM: O QUE OS OCEANOS REPRESENTAM PARA A VIDA NA TERRA

 

O que está a ser feito e o que falta fazer?

Ao nível da Europa, já estão a ser tomadas algumas medidas para conter esta poluição. Até 2030, todas as embalagens de plástico no mercado da União Europeia deverão ser recicláveis, o consumo de objetos de plástico descartáveis será reduzido e a utilização intencional de microplásticos será restringida. Estas medidas fazem parte da primeira estratégia para resíduos de materiais plásticos, adotada pela Comissão Europeia a 16 de janeiro de 2018, e que se integra no processo de transição para uma economia mais circular.

 

Garrafas de água, talhares e outros itens de utilização única vão deixar de ser usados nas instalações do Parlamento Europeu a partir de 2019. A medida vem no seguimento do movimento da União Europeia em direção a uma economia circular de resíduos plásticos. A eliminação gradual terá início a partir de julho de 2019, respeitando as obrigações contratuais existentes. A decisão é a etapa final de um projeto que já viu a instalação de 166 fontes de água nos seus edifícios e a restrição da oferta de garrafas de água de plástico em reuniões com duração inferior a 1 hora e meia.

Artigo anterior

Objetivos de vida diferentes e infidelidade: os principais motivos para as mulheres pedirem o divórcio

Próximo artigo

Turismo rural a não perder em Portugal