Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Descubra as aves que vivem em Faro e na Culatra

Descubra as aves que vivem em Faro e na Culatra

Até 7 de agosto, pode ver de perto chilretas, colhereiros, garças ou pilritos, num projeto de observação explicado por especialistas em aves. As sessões são gratuitas.

Pinterest Google+
PUB

Durante este verão, especialistas do projeto LIFE Ilhas Barreira vão estar de telescópios montados, a mostrar aves como chilretas, colhereiros, garças ou pilritos a quem passar pelo Centro Náutico de Faro ou pela Ilha da Culatra. As sessões, que decorrem uma vez por mês, são grátis.

 

Durante as manhãs dos dias 12 de junho e 7 de agosto, os especialistas estarão junto ao Centro Náutico de Faro, enquanto nos dias 10 de julho e 11 de setembro os telescópios estarão montados na Culatra. Para participar, basta aparecer a qualquer hora entre as 9h30 e as 12h30 para ver que aves andam nas redondezas.

 

Entre as aves que poderão ser avistadas estão os colhereiros, com o enorme bico em forma de colher, que lhes dá o nome; a garça-cinzenta, e a chilreta (ou andorinha-do-mar-anã), espécie que vem de África para se reproduzir na região, e que frequentemente se vê a voar de peixe no bico.

 

VEJA TAMBÉM: HÁ 53 PRAIAS EM PORTUGAL COM ZERO POLUIÇÃO

 

Surgirá também certamente oportunidade para descobrir como se distinguem as várias aves que se alimentam à beira-mar, como os pilritos, o pernilongo, o milherango ou o maçarico-galego, e também as diferentes gaivotas.

 

LIFE Ilhas Barreira

Cofinanciado pelo programa LIFE da União Europeia, o projeto LIFE Ilhas Barreira, coordenado pela SPEA, pretende avaliar a resiliência das Ilhas Barreira às alterações climáticas.

 

Estas ilhas são um importante refúgio para algumas aves marinhas: a Ilha Deserta é o único local do nosso país onde nidifica a gaivota-de-audouin, e as ilhas albergam populações importantes de chilreta.

 

O LIFE Ilhas Barreira está a estudar o estado das populações destas espécies, bem como a dinâmica entre as gaivotas e as dunas, e a avaliar a necessidade de medidas de conservação.

 

O projeto trabalha ainda com pescadores para evitar que as aves marinhas sejam capturadas acidentalmente nas artes de pesca.

 

 

 

Artigo anterior

Guia de exercícios para aliviar as dores cervicais e lombares

Próximo artigo

Dê um toque de verão à sua casa