Home»FOTOS»Descoberto novo tubarão que brilha no escuro

Descoberto novo tubarão que brilha no escuro

O tubarão agora descoberto não é maior do que um pé humano, brilha no escuro e tem um nariz enorme. A descoberta está a entusiasmar a comunidade científica, uma vez que há apenas 450 espécies de tubarões, e encontrar uma nova é um feito raro.

Pinterest Google+

Tem um grande nariz, brilha no escuro, é do tamanho de um pé humano e nada nas águas profundas do Oceano Pacífico, mais concretamente na zona do Havai (veja fotos na galeria acima).

 

Esta miniatura de tubarão foi avistada há 17 anos, mas só agora foi identificada (Etmopterus lailae), revela o comunicado da Universidade Atlântica da Florida, EUA.

 

«Existem apenas cerca de 450 espécies conhecidas de tubarões em todo o mundo, e não nos deparamos com uma nova espécie com frequência. Uma grande parte da biodiversidade ainda é desconhecida, então, tropeçar numa pequena e nova espécie de tubarão num oceano gigantesco é realmente emocionante. Esta espécie é muito pouco estudada devido ao seu tamanho e ao facto de que ela vive em águas muito profundas. Eles não são facilmente visíveis ou acessíveis como tantos outros tubarões», comenta Stephen Kajiura, professor de ciências biológicas nesta universidade.

 

Veja também: Venezuelano bate recorde do mundo ao nadar 177 metros em apneia

 

Ao início, Kajiura e os seus colaboradores não perceberam que haviam descoberto uma nova espécie até que apresentaram os resultados da pesquisa a um jornal científico. O editor disse-lhes que o tubarão não era o que eles pensavam originalmente e que poderia ser uma nova espécie.

 

A identificação do Etmopterus lailae exigiu uma extensa lista de medidas, categorização e comparações com outros espécimes em museus. «As características únicas desta nova espécie diferenciam-se dos outros. Por um lado, tem uma forma de cabeça estranha e um focinho incomumente grande e inchado, onde as suas narinas e órgãos olfativos estão localizados. Estas criaturas vivem num ambiente profundo do mar com quase nenhuma luz, então precisam de ter uma grande luz para encontrar comida», explica. Saiba mais aqui.

Artigo anterior

Estudo: sim, o dinheiro pode comprar felicidade!

Próximo artigo

Queda contínua na contagem de esperma «pode levar à extinção dos seres humanos»