Home»Uncategorized»Desafio internacional conta com dois projetos portugueses finalistas

Desafio internacional conta com dois projetos portugueses finalistas

No top 10 do Healthy Childhood Challenge estão um projeto para combater o desperdício alimentar nas escolas e o visa promover uma cultura ativa e saudável junto das comunidades.

Pinterest Google+
PUB

O desafio global The Healthy Childhood Challenge, criado pela Novo Nordisk em colaboração com a UNICEF, e que procura apoiar e financiar ideias que promovam ambientes saudáveis para as crianças, conta este ano com dois projetos portugueses na lista dos 10 finalistas. A iniciativa, lançada em maio, recebeu na sua segunda edição um total de 100 candidaturas, das quais 8 foram submetidas por participantes portugueses.

 

Após uma primeira edição em 2021, em que o projeto português Food From the Block da Associação Locals Approach esteve entre os três vencedores – o The Healthy Childhood Challenge pretende este ano encontrar ideias e soluções inovadoras capazes de promover hábitos alimentares e estilos de vida mais saudáveis no ambiente em que as crianças se desenvolvem e, ao mesmo tempo, reduzir as desigualdades em saúde.

 

VEJA TAMBÉM: COMO FAZER O SEU FILHO ACEITAR NOVOS SABORES

 

Da lista dos 10 finalistas apurados fazem parte dois projetos portugueses. Um deles, o Good Food Good Loop, criado em conjunto pelo Município de Sintra, Município de Figueira de Castelo Rodrigo e Laboratório de Nutrição da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, tem como objetivo atuar contra o desperdício alimentar nas escolas do 1º ciclo do ensino básico destes dois concelhos, através de uma intervenção intermunicipal que visa não só gerar um ecossistema local focado num modelo de economia circular, como também promover ambientes mais saudáveis para os mais novos, prevenindo o risco destas desenvolverem Diabetes ou Obesidade.

 

Entre as medidas definidas, destaca-se a criação de um sistema de recompensas, em que os alunos das escolas com menos desperdício alimentar nas cantinas terão acesso ao “Sustento”, uma moeda local que permitirá acesso gratuito a produtos saudáveis e sustentáveis em estabelecimentos parceiros locais, a atividades desportivas, como ginásios e piscinas, ou até atividades lúdicas, tais como museus e teatros.

 

O segundo projeto, o Quetebá Grows Healthy, desenvolvido pelo Município de Sintra, em estreita parceria com o Ministério da Educação da Guiné-Bissau, a ONG Únika Mixing Cultures, o Laboratório de Nutrição da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e o Centro de Estudos de Educação da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa, propõe a implementação de um plano de ação que visa dotar a comunidade escolar de Quetebá – na cidade guineense de Cacheu – de conhecimentos e ferramentas que lhes permita promover uma cultura ativa e saudável junto das famílias e comunidades locais, sobretudo dos mais vulneráveis.

O Quetebá Grows Healthy nasce da experiência obtida no âmbito do Sintra Cresce Saudável – intervenção de promoção de estilos de vida saudáveis em contexto escolar, já reconhecido nacional e internacionalmente – concretizando a disseminação, além-fronteiras, desta metodologia de intervenção e investigação participada de base comunitária. Em termos práticos, o projeto Quetebá Grows Healthy define três eixos de atuação: o desenvolvimento de uma horta escolar que será utilizado para a agricultura de diversos produtos hortícolas; a integração da literacia alimentar no currículo escolar, através da realização de sessões semanais sobre alimentação e nutrição; e a promoção da atividade física junto das crianças, com aulas semanais de educação física.

 

Este ano, o foco do The Healthy Childhood Challenge tem uma relevância crítica: a infância. Uma saúde deficiente numa idade mais jovem aumenta o risco de desenvolvimento de doenças não transmissíveis no futuro, desde logo a Obesidade. Intervir para ajudar as crianças a manterem um peso adequado é uma forma importante de melhorar a sua saúde, para o resto das suas vidas. Este facto assume particular importância no nosso país, onde cerca de 29,6% e 12% das crianças portuguesas apresentam excesso de peso e Obesidade, respetivamente.

 

As três melhores e mais inovadoras ideias irão receber 100.000 dólares cada da Novo Nordisk, para colocarem em prática as soluções apresentadas. Em outubro serão selecionados os três vencedores, os quais serão anunciados em novembro.

 

 

 

 

Artigo anterior

Da pele ao coração: as múltiplas razões para comer papaia

Próximo artigo

Paelha de vegetais: apetece-lhe algo com sabor a Espanha?