Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»DECO explica como evitar burlas com chamadas internacionais de números desconhecidos

DECO explica como evitar burlas com chamadas internacionais de números desconhecidos

Há consumidores a perder saldo ou receber faturas elevadas porque responderam ao toque de números internacionais desconhecidos. A Associação de Defesa do Consumidor explica como evitar este novo tipo de burla.

Pinterest Google+
PUB

Se receber um toque de um número internacional desconhecido, não atenda nem devolva a chamada. Trata-se de uma nova burla telefónica que já prejudicou alguns consumidores portugueses, alerta a Associação de Defesa do Consumidor.

 

«Temos o relato de uma consumidora que recebeu uma chamada de um número começado por +21351 (indicativo da Argélia), que facilmente se confunde com o indicativo internacional de Portugal, +35121. Outra consumidora queixou-se de devolver a chamada de um número estrangeiro, ser atendida por uma gravação que dizia que era uma mensagem de um familiar em situação de urgência e que não deveria desligar. Como tinha família fora do País, aguardou em linha. Só desligou minutos depois, perante o silêncio da chamada. Quando contactou o familiar, concluiu que estava tudo bem», conta a DECO no seu site.

 

Há consumidores que responderam ao toque que se queixam de terem perdido o saldo do telemóvel ou de terem recebido faturas avultadas.  Para além de não atender a chamada, é recomendável que contacte se contacte a operadora para pedir informações adicionais. «Estes números mudam constantemente, pelo que as operadoras pouco conseguem fazer. Ainda assim, é boa ideia relatar o caso à operadora, para se salvaguardar caso seja confrontado com faturas astronómicas», refere a DECO.

 

Veja também: Nove conselhos para umas férias ciberseguras

 

Esquemas deste género já surgiram antes. Em 2013, por exemplo, houve casos semelhantes relacionados com chamadas e mensagens de números da Letónia e da Bielorrúsia.  Porém, não atender as chamadas internacionais de números desconhecidos pode ser problemático para algumas pessoas, sobretudo quando têm familiares fora do país ou aguardam algum telefonema de empresas estrangeiras, por exemplo, na sequência de alguma candidatura a emprego.

 

Nestes casos, recomenda a associação, «pode canalizar estes contactos para outros canais, como o e-mail ou as apps de mensagens, como o Whatsapp, Facebook Messenger, Snapchat, iMessage, entre outras.  No caso do e-mail, se não quiser dar o endereço pessoal a desconhecidos, pode criar uma segunda conta. Com as apps de mensagens, pode enviar uma mensagem para o número em causa a perguntar quem é e qual o assunto. É ainda uma forma de contactar amigos e familiares que estejam fora do País e confirmar se fizeram algum contacto».

 

Artigo anterior

A prisão do amor

Próximo artigo

Como poderia o Cristiano Ronaldo diminuir a sua perícia?