Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»De onde vem afinal a motivação? Parte 2

De onde vem afinal a motivação? Parte 2

Pinterest Google+

Como prometido no artigo anterior, irei partilhar consigo uma das formas possíveis de descobrirmos os nossos valores. Relembro que os valores são a nossa principal fonte de motivação e que tudo o que fazemos na vida está dependente dos nossos valores.

 

E será sempre assim? Não. E, por isso, passamos por períodos de conflito de maior ou menor intensidade. Por vezes, damos por nós a dizer que andamos desmotivados, que não temos vontade de ir trabalhar ou de estar na relação em que estamos. Quando isto acontece, é o mesmo que dizer que alguns dos nossos principais valores não estão a ser preenchidos como gostaríamos.

 

Então por que razão é importante e útil conhecermos os nossos valores? Imagine um exemplo da área profissional. Tem um emprego com o qual não está totalmente satisfeito porque o seu salário está abaixo do que gostaria. É claro que há coisas que gosta, é perto de casa, ou permite-lhe ter um horário flexível, ou tem autonomia para tomar decisões na maior parte das situações. Um dia oferecem-lhe a possibilidade de mudar de emprego e o salário é exatamente aquilo que pretende e nem hesita! Mudança feita, chega ao novo local de trabalho e começa a perceber, ao fim de umas semanas, que este novo emprego, além de ficar mais longe de casa, mas isso já sabia, tem um horário fixo e já não lhe permite fazer aquelas compras fora de horas ou ir ao ginásio nas horas mais calmas e, além disso, sempre que tem que tomar uma decisão, tem que ligar ao chefe que nem sempre atende o telefone. De repente, dá consigo a pensar que afinal este emprego não é assim tão bom e que “há coisas que o dinheiro não compra”. E agora? Talvez seja tarde demais para voltar atrás.

 

Se tivesse presente e de forma consciente quais os valores que são mais importantes para si, talvez tivesse pensado melhor sobre esta mudança. Talvez percebesse que o dinheiro raramente é o maior motivador humano (este facto está estudado por várias universidades) e que há outras coisas que lhe proporcionam maior satisfação.
Vamos então saber como podemos descobrir os nossos principais valores. Antes de começarmos, gostaria de dizer que, apesar de poder fazer este exercício a si mesmo(a), a experiência diz-me que funciona melhor quando alguém nos faz e, se quisermos, podemos devolver a gentileza e fazer ao outro.

 

É também importante considerarmos uma área específica da nossa vida, já que é provável que valorizemos coisas na carreira que são diferentes de coisas que valorizamos nas nossas relações.

Artigo anterior

Vida depois das passarelas

Próximo artigo

MOUSSE DE MARACUJÁ COM MOLHO DE CHOCOLATE BRANCO