Home»FOTOS»Da maçã ao kombucha: Conheça 15 alimentos que dão uma ajuda ao aparelho digestivo

Da maçã ao kombucha: Conheça 15 alimentos que dão uma ajuda ao aparelho digestivo

O aparelho digestivo, responsável pela absorção de nutrientes e pela eliminação do desperdício, é crucial para a manutenção da saúde. Mas a verdade é que muitas pessoas sofrem com inchaços, cólicas ou gases. Em situações piores, podem existir doenças como a Síndrome do Cólon Irritável, que cada vez ataca mais pessoas. Descubra os alimentos que ajudam a ter uma melhor saúde digestiva.

Pinterest Google+
PUB

Iogurte – Este alimento, que é feito de leite fermentado, contém probióticos. Estas bactérias vivem no seu trato digestivo e ajudam a melhorar a digestão e a manter um intestino saudável. Nem todos os iogurtes têm probióticos. Na altura das compras, procure por aqueles que têm ‘culturas ativas’.

 

Maçãs – Estas são ricas em fibras e aumentam as fezes. As maças são normalmente usadas para tratar problemas de obstipação ou de diarreia. As maçãs também ajudam a diminuir infeções intestinais e inflamações no cólon.

 

Funcho – Esta planta costuma ser utilizada para dar mais sabor aos alimentos, e como é rico em fibras o funcho ajuda a regular o sistema digestivo, a reduzir o inchaço, a flatulência e as cólicas.

 

VEJA TAMBÉM: FALTA-LHE ENERGIA? CONHEÇA ALGUNS DOS ALIMENTOS MAIS RICOS EM FERRO

 

Kefir – Este produto lácteo é feito através de uma mistura de leveduras e bactérias positivas para o trato intestinal. Tal como os probióticos dos iogurtes, as culturas do kefir ajudam na digestão da lactose, e diminuem inchaços, cólicas e gases.

 

 Sementes de chia – Estas sementes são uma excelente fonte de fibra. Elas funcionam como prebióticos, já que apoiam o crescimento de bactérias saudáveis no intestino e contribuem para uma digestão saudável.

 

 Kombucha – Este é feito através de chá fermentado. Normalmente é feito com chá preto ou verde. Um conjunto de pesquisas, feitas em ratos, demonstram que o kombucha pode contribuir para curar úlceras estomacais.

 

Papaia – A papaia contém uma enzima digestiva chamada papaína. Esta enzima ajuda a digerir as proteínas. A papaína também pode aliviar os sintomas da síndrome do intestino irritável, como é o caso do inchaço. A papaína costuma ser utilizada como a principal enzima de alguns suplementos digestivos.

 

Cereais integrais – Para se ser classificado como um cereal integral, este deve conter 100% das sementes. Estes grãos, que são ricos em fibras, podem ser encontrados na aveia, quinoa, farro e produtos feitos de trigo integral.

 

Tempeh – Este é feito de soja fermentada e este processo de fermentação melhora a digestão e absorção de nutrientes. Este tipo de alimentos são uma boa fonte de probióticos.

 

Beterraba – Este alimento é rico em fibras, logo, tem todo um manancial de aditivos benéficos para a saúde do trato digestivo.

 

Miso – O Miso, que normalmente é consumido em sopa, é feito através da fermentação da soja, do sal e do koji, que é um tipo de fungo. Miso contém probióticos que, como outros alimentos fermentados, ajudam a melhorar a digestão, aumentando as boas bactérias do intestino.

 

Gengibre – Este é bastante utilizado na medicina oriental pois ajuda a prevenir as náuseas e melhora a sua digestão.

 

Kimchi – Este costuma ser feito de repolho fermentado, mas também pode conter outros vegetais. O Kimchi contém probióticos que ajudam na digestão e promovem o crescimento de boas bactérias no cólon.

 

Vegetais verdes escuros – Este tipo de vegetais são uma excelente fonte de fibra insolúvel. Este tipo de fibra, para além de adicionar mais volume às suas fezes, acelera o ritmo da sua digestão. Estes vegetais também são uma boa fonte de magnésio.

 

Natto – Tal como o tempeh, o natto também é feito de soja fermentada. Este pode ser comido simples, mas em algumas culturas juntam kimchi, molho de soja, cebola verde e ovos crus. Também pode ser comido com arroz cozido. O natto contém probióticos que servem como um mecanismo de defesa contra toxinas e bactérias nocivas, enquanto também aumentam as bactérias intestinais saudáveis que melhoram a digestão

 

 

Artigo anterior

O meu cão não quer entrar dentro de água

Próximo artigo

Hipertensão arterial: combater o “assassino silencioso”