Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Da criação à circulação: a viagem da nova nota de 50 euros

Da criação à circulação: a viagem da nova nota de 50 euros

Já entrou no mercado e vai circular ao mesmo tempo que as notas da primeira série. Segundo o Banco de Portugal, a nova nota distingue-se pelo desenho renovado, cores mais fortes e pelos novos elementos de segurança. Veja como tudo começou.

Pinterest Google+
PUB

A nova nota de 50 euros acaba de entrar em circulação. Mas lançar uma nova nota significa voltar à fase inicial: tudo começa no desenho seguindo-se uma série de passos até chegar às mãos de todos nós. Para clarificar os utilizadores de como tudo se processa, o Banco Central Europeu lançou um vídeo (veja abaixo).

 

A nova nota mantém o mesmo tamanho e o mesmo estilo, o renascentista, mas distingue-se da nota da primeira série pelo desenho renovado, pela utilização de cores mais fortes e pelos novos elementos de segurança: o número esmeralda e a janela com o retrato de Europa no holograma. Estes elementos tornam a nota mais resistente à contrafação, explica o Banco de Portugal.

 

 

As novas notas e as notas da primeira série vão circular ao mesmo tempo, por isso não é necessário trocar quaisquer notas. Quem, ainda assim, pretender fazê-lo, deve dirigir-se ao balcão de um banco ou a uma tesouraria do Banco de Portugal. Também ninguém está mandatado para recolher notas em nome do Banco de Portugal ou de qualquer instituição bancária, alerta a instituição. Para facilitar o conhecimento da nova nota pelo público em geral, está a ser divulgado um vídeo em todos os países da Zona Euro, filmado em Lisboa.

 

A nova nota de 50 euros é a quarta denominação da série Europa a ser introduzida, depois das notas de 5, 10 e 20 euros.  A produção em série das novas notas de 50 euros começou em 2015 e, dos 5,4 mil milhões de novas notas, 198 milhões foram produzidos pela Valora S.A., empresa totalmente detida pelo Banco de Portugal.

 

Apesar de ser relativamente pouco utilizada em Portugal, a nota de 50 euros é a mais utilizada na área do euro, com mais de nove mil milhões de notas e totalizando 46 por cento de todas as notas de euro em circulação.

Artigo anterior

Perceção é tudo?

Próximo artigo

Marque férias para um dos destinos tendência de 2017