Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»Crianças preferem ser youtubers a astronautas

Crianças preferem ser youtubers a astronautas

No ano em que se celebram o 50º aniversário da chegada à Lua, a Harris Poll e o Grupo LEGO conduziram um estudo que revela que o Espaço e os astronautas já não estão no topo dos interesses das crianças.

Pinterest Google+

50 anos depois da missão Apollo XI, que viu Neil Armstrong e Buzz Aldrin pisar pela primeira vez a superfície lunar e preencher o imaginário popular nas décadas que se seguiram, o Grupo LEGO e a Harris Poll (a mais antiga empresa de estudos de mercado dos Estados Unidos) fizeram um inquérito para perceber o quanto o tema ainda interessa às crianças de hoje em dia e os resultados foram surpreendentes. E a conclusão é que três vezes mais crianças preferem ser youtubers a astronautas.

 

Preenchido por pais e crianças entre os 8 e os 12 anos, dos Estados Unidos, China e Reino Unido, o estudo concluiu que atualmente, o apelo por ser youtuber (29%) é quase três vezes maior do que o de ser astronauta (11%), mostrando o papel cada vez mais preponderante das novas vedetas das redes sociais. 83% dos pais acha que os filhos têm o Espaço e a exploração espacial como um interesse, mas apenas 53% das crianças dizem que esse interesse é motivado pelos pais, apontando os professores e a internet como um fator muito mais decisivo, sendo que 90% das crianças indicou que gostava de saber mais sobre o assunto. Mais de 85% das crianças conseguiu identificar que Neil Armstrong tinha sido o primeiro homem na Lua, com apenas 2% a votar em Buzz Lightyear, a famosa personagem da saga Toy Story.

 

VEJA TAMBÉM: TOYS”R”US CRIA CANAL DE YOUTUBE PARA CRIANÇAS EM PORTUGAL

 

É quase unanime para as crianças que o futuro passa pelo Espaço. China (97%), EUA (86%) e Reino Unido (87%) acreditam que num futuro próximo, o Homem chegará a Marte, com 24% das crianças chinesas a prever que possa acontecer até 2020. As crianças chinesas mostram-se, regra geral, mais otimistas, com 96% a acreditar que um dia a humanidade viverá noutro planeta, ao passo que as ocidentais tendem a acreditar menos, 68% nos EUA e 62% no Reino Unido.

 

Apesar do interesse, as crianças não percebem a relevância das viagens espaciais para o seu dia-a-dia. Apenas 25% das crianças sabem já ter utilizado alguma coisa que é possível ou foi inventada graças aos programas espaciais, apesar de 97% admitirem usar objetos como telemóveis com câmaras, termómetros de ouvidos, ratos de computador ou ténis de desporto, todos eles criados com tecnologias desenvolvidas para viagens espaciais.

 

VEJA TAMBÉM: PREPARE O SEU FILHO PARA NÃO SE PERDER

 

Quando questionadas sobre as profissões relacionadas com a exploração espacial, as crianças não tiveram dificuldade em apontar os astronautas (90%), mas pouco mais de metade referiu os engenheiros (58%) e os programadores (52%). Apenas 7% das crianças entende que um agricultor pode ter um papel a desempenhar num programa espacial, indicando que as crianças não sabem o quão abrangente é a exploração espacial e toda a estrutura de apoio necessária.

 

2019 celebra também os 55 anos do primeiro foguetão LEGO e 40º aniversário de “Space” como um tema para a marca. Ocasião que a LEGO não deixou passar ao lado, lançando uma série de novos sets LEGO® City com a exploração espacial como tema e o LEGO Ideas NASA Apollo 11 Lunar Landing, uma réplica da cápsula que levou Neil Armstrong e Buzz Aldrin até à Lua.

 

 

Artigo anterior

Festival dos Canais regressa a Aveiro com mais de 250 espetáculos gratuitos

Próximo artigo

Alimentos que bronzeiam: indicações de uma nutricionista