Home»COVID-19»Covid-19: nova campanha apoia cuidados paliativos pediátricos

Covid-19: nova campanha apoia cuidados paliativos pediátricos

Estima-se que vivam em Portugal pelo menos oito mil crianças e adolescentes com necessidades paliativas. Iniciativa tem como objetivo informar os cuidadores e as famílias sobre os principais cuidados a adotar no domicílio durante a pandemia pelo novo coronavírus.

Pinterest Google+

A aTTitude IPSS lança uma campanha informativa através da divulgação de um tutorial e de um folheto informativo de orientação COVID-19, no contexto dos cuidados paliativos pediátricos (CPP), dirigida aos cuidadores informais. Esta iniciativa tem como objetivo informar os cuidadores e as famílias sobre os principais cuidados a adotar no domicílio durante a pandemia pelo novo coronavírus.

 

De acordo com a literatura científica, estima-se que vivam em Portugal pelo menos oito mil crianças e adolescentes com necessidades paliativas. Destas, cerca de 200 morrem anualmente, na sua maioria em unidades hospitalares, sendo o apoio domiciliário claramente insuficiente para as necessidades a nível nacional.

 

VEJA TAMBÉM: CORONAVÍRUS: 25 MITOS DESMISTIFICADOS

 

Não conseguindo ficar indiferente às actuais circunstâncias evidenciadas pela COVID-19, a aTTitude IPSS, com o objectivo de apoiar os cuidadores e famílias, lançou uma campanha informativa através do desenvolvimento de um tutorial e de um folheto informativo específico de orientação no contexto dos CPP. Os materiais de comunicação da campanha estão disponíveis para consulta e download no site da aTTitude em www.attitude.org.pt.

 

«Com a atual pandemia da Covid-19 muitas dúvidas se instalaram e é fundamental esclarecer e fazer recomendações para os cuidadores informais de crianças com doença crónica ou limitante, em situação de cuidados paliativos pediátricos», realça Bibi Sattar Marques, presidente da aTTitude IPSS.

 

VEJA TAMBÉM: A OBESIDADE E A PANDEMIA DA COVID-19

 

Segundo a pediatra Cândida Cancelinha, coordenadora do Conselho técnico-científico da aTTitude IPSS,  «é essencial que consigamos chegar ao maior número de famílias, através dos diferentes meios e estratégias de comunicação, por forma a que não se sintam sozinhas numa fase tão delicada, e em que a assistência pelas suas equipas pode estar comprometida. Com a escassez de apoio domiciliário em CPP em Portugal, agravada nesta fase, importa desmistificar receios e assegurar que a qualidade dos cuidados prestados se mantem para todas as crianças com doença crónica complexa».

 

«A SIC irá divulgar, através do seu espaço de serviço público, um spot de 20 segundos da campanha. Este apoio surge de uma parceria estabelecida com a SIC Esperança, no âmbito do projeto “Tutoriais para cuidadores informais em cuidados paliativos pediátricos». A iniciativa conta ainda com o apoio institucional de diferentes entidades, incluindo associações como a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos.

 

 

Artigo anterior

Jardim Zoológico: há 136 anos a criar memórias

Próximo artigo

Unhas: as cores que vão dar alegria ao verão de 2020