Home»COVID-19»COVID-19: medidas que reduzem o impacto de complicações

COVID-19: medidas que reduzem o impacto de complicações

Precisamos pensar em ‘educar em saúde’ para uma cidadania consciente, sustentável, preventiva e ativa, através de medidas que reduzam o impacto de complicações. Tratar e avaliar o paciente de maneira integral e personalizada, implantando ações de atenção primária em saúde, doenças respiratórias e fatores de risco.

Pinterest Google+

Influência epigenética mundial

A influência mundial registada pela propagação do Coronavírus Covid -19 tem desencadeado no planeta e nas populações, alterações epigenéticas significativas com efeitos marcantes por diversos anos. Mas até neste raciocínio existe o lado positivo e o negativo.

 

O positivo é que todo o planeta está favorecido, porque sendo nós o seu agressor principal, ele usou o vírus como um militar de estratégia e colocou-nos em casa. Parou as empresas, eliminou parte da poluição e com isso respira melhor.

 

A exemplo disso, podemos ver várias imagens que nos mostram os animais a circularem livremente, recuperando o seu habitat, com iguais benefícios para algumas espécies marinhas. A vegetação está mais exuberante e o ar mais limpo, o buraco da camada de ozono está menor e podemos, através de imagens do espaço, ver que o nosso planeta está feliz.

 

O negativo: representa todo o estrago causado à saúde daqueles que contraíram o vírus, as mortes em grande número e em pouco tempo, o trabalho até à exaustão dos profissionais de saúde e outros que garantem os serviços mínimos. As empresas que tiveram de parar e todo o impacto económico, emocional e social causado por todas estas transformações.

 

Vamos levar muito tempo a reerguer-nos, mas é caso para refletirmos e perguntar, há quanto tempo o planeta está em estado de alerta climático?  Mas agora, acima de tudo, importa acautelar a qualidade imunológica das populações mundiais. E como podemos fazer isso?

 

A partir da compreensão simples de como nós seres humanos funcionamos e nos defendemos dos vermes parasitários, podemos criar e desenvolver hábitos de vida saudáveis, para que as nossas defesas estejam a postos entre a ajuda dos militares estrategas do corpo e o plantão de soldados que nos defendem.

 

«A alimentação e todas as formas preventivas de proteção ao equilíbrio do ser humano podem ser o medicamento mais poderoso para reduzir o risco de doenças…podemos através de novos comportamentos, modificar a expressão dos nossos genes (fenótipo) e evoluirmos num caminho de sabedoria entre nós e o meio onde vivemos!» Esta é a proposta de uma prática sustentável de atuação em saúde, tendo em consideração o estudo através dos Fatores Epigenéticos, na “Observação da Saúde dos Povos”.

 

O nosso sistema vivo só pode ser saudável se não acumularmos toxinas. Para que isso se torne possível, precisamos de praticar um comportamento de vida focado no respeito do nosso Relógio Biológico. Este é o software de antivírus mais eficaz e já explicado cientificamente pelos vencedores do prémio Nobel da Medicina em 2017.

 

 

Com 7 passos básicos podemos promover em cada um de nós essa mudança tão importante neste momento:

  1. Hidratação

Não se esqueça de que precisa de fazer todos os dias um bom consumo de água, pois a hidratação é fundamental para preservar a sua homeostasia. Somos constituídos por cerca de 70% de estado líquido. Imagine se o oceano do seu corpo seca?

 

  1. Alimentação Saudável

Existem muitos estudos científicos que nos mostram a importância de uma alimentação rica em antioxidantes. Alguns destes alimentos possuem propriedades protetoras como antioxidantes, Vit. C e Ómegas 3 ALA e Zinco. Estas propriedades favorecem a proteção cardiovascular e o equilíbrio das funções gastro intestinais, além de aumentarem o aporte de oxigénio no sangue.

Comece por pequenas mudanças, feitas diariamente, tais como: ter hábitos de higiene alimentar, onde todas as semanas escolhe um dia de “destoxificação”, sem ingestão de proteínas animais e onde os alimentos verdes, sobretudo crucíferas, serão a base principal das suas refeições.

 

  1. Respirar Ar Puro

As atividades ao ar livre, favorecem o a boa manutenção da pele, dos pulmões e de todo     o aparelho cardio respiratório.

 

  1. Reforçar a Luz Solar

A Vitamina D é essencial à sua imunidade, exponha-se 30 minutos por dia ao sol. Observe os animais e siga o seu exemplo.

 

  1. Exercício Físico

Uma atividade física regular, durante 1 hora por dia, favorece o equilíbrio do sistema linfático, circulatório, ósseo e intestinal e reduz o impacto do stress.

 

  1. Repouso

O ciclo de sono de 8 horas ao fim de um período de 16 horas, de atividades é a chave de ouro que vai fechar o cofre da vida e guardar o segredo da juventude. Levantar cedo e cedo erguer é um ditado que os sábios usam há muito tempo.

 

  1. Mente e Espírito São

Não representa ter de praticar qualquer tipo de religião.   A crença no poder da vida começa por respeitar o seu corpo e ser capaz de observar   o universo ao seu redor. Evolua através desta prática.  Desenvolva atividades de leitura, reflexão e de silêncio.

 

 

Estas ações permitem-lhe preservar a sua sanidade emocional e de comunhão com o Planeta que o acolhe. Após este período de contenção social e quarentena, conviva com aqueles que ama. Abrace, emocione-se, perdoe-se, dance e pratique o bem e respeite o seu semelhante. Esta é a paz celular, aquela que representa o “Graal da Vida”.

 

Com todos estes itens comtemplados, consulte uma vez em cada três meses um profissional de saúde preventiva, um médico ou outro especialista do seu agrado de forma a poder ter uma orientação adequada para si e para o seu biótipo.

 

Olhe para este conceito como a sua nova forma de viver e ser capaz de fazer um novo percurso para uma vida com cuidados de atenção primária à saúde com mais sustentabilidade.

Coloque em prática os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável do Milénio, para preservar e manter a casa que habitamos, o planeta Terra. O amor não tem fronteiras e só ele nos pode salvar!

 

 

Artigo anterior

COVID-19: Quais os riscos nutricionais para idosos, grávidas e lactantes?

Próximo artigo

Sexo sénior: dicas para uma vida íntima ativa em idade avançada