Home»FOTOS»Convento dos Capuchos reabre hoje após obras de restauro

Convento dos Capuchos reabre hoje após obras de restauro

Foram feitas intervenções em diversas construções exteriores e interiores deste convento invulgar integrado na natureza. A visita “Do Musgo e da Cortiça - O Restauro do Convento dos Capuchos” assinala a data e dá a conhecer o projeto de restauração.

Pinterest Google+

A 1 de agosto, o Convento dos Capuchos reabre ao público, após a conclusão de diversas intervenções de conservação e restauro de grande dimensão, cujo impacto significativo na circulação no espaço levou ao encerramento do monumento a 18 de novembro de 2019. A data de reabertura é assinalada com a visita ‘Do Musgo e da Cortiça – O Restauro do Convento dos Capuchos’, que dará a conhecer a complexidade e a minúcia de um dos processos de conservação e restauro mais sensíveis dos 20 anos de história da Parques de Sintra.

 

O fim desta significativa etapa do projeto global de recuperação do Convento dos Capuchos estava programado para 1 de junho de 2020, porém, os efeitos da pandemia obrigaram ao seu adiamento. Na fase que se segue, as intervenções que continuarão a decorrer serão de menor proporção, voltando a estar reunidas as necessárias condições de segurança e de qualidade da experiência de visita a este monumento.

 

As obras que, na data da reabertura do monumento ao público, já se apresentarão concluídas obedecem a uma estratégia global, definida por uma equipa multidisciplinar e fundamentada num conjunto de princípios, que permitiu encontrar delicadas soluções de compromisso entre a estabilidade e a segurança das estruturas, em que a preservação da identidade material e histórica deste património prevaleceu sempre.

 

VEJA TAMBÉM: CONVENTO DOS CAPUCHOS: A ESPIRITUALIDADE INTEGRADA NA NATUREZA

 

Entre elas, estão as intervenções em diversas construções exteriores ao edifício principal, nomeadamente, o Terreiro da Fonte, a Capela do Senhor no Horto, o Forno do Pão, a Casa de Fresco, o Tanque das Hortas e a Casa dos Alguidares. No edifício principal, estão também concluídas a recuperação das coberturas do convento, o restauro da Cela do Guardião e a execução das infraestruturas interiores.

 

A Casa das Hortas foi igualmente recuperada e dotada de novas valências, designadamente, instalações sanitárias e um espaço de estadia para os visitantes, que servirá também de sala polivalente para a realização de atividades, e foi restaurado o Celeiro, onde será instalado um núcleo museológico deste monumento. Este último, terá em exposição alguns dos objetos recolhidos nas diversas campanhas arqueológicas que têm vindo a acompanhar as intervenções, bem como algumas peças do acervo do convento que se encontram guardadas em reserva.

 

Os trabalhos até agora realizados têm tido o acompanhamento permanente da especialidade de arqueologia da arquitetura. O cruzamento dos dados historiográficos com a realização de sondagens arqueológicas no interior do convento permite que, no final da intervenção, venha a ser possível compreender melhor as fases construtivas do edifício, as alterações que este sofreu ao longo do tempo e o uso que era dado aos espaços.

 

Com vista a promover uma experiência de visita mais integrada com a natureza e a valorizar as características inerentes a um convento intrinsecamente ligado aos valores naturais, a rede de caminhos e o parque de estacionamento foram, por sua vez, beneficiados, estando em curso a renaturalização da zona de acesso ao monumento, com vista ao melhoramento do enquadramento do património construído e ao enriquecimento do património natural envolvente.

 

VEJA TAMBÉM: UM PASSEIO POR SINTRA: O QUE NÃO PODE PERDER

 

Por ter menor impacto na circulação no espaço, a campanha de conservação e restauro dos revestimentos interiores do convento e do respetivo património integrado e móvel continuará a ser conduzida, após a reabertura, de acordo com a política “Aberto para Obras” da Parques de Sintra. Este conceito associa à experiência de visita o contacto com as intervenções em curso, sempre que este último não coloque em causa a segurança das pessoas. Reveste-se de um caráter pedagógico, já que possibilita o diálogo entre os visitantes e os técnicos envolvidos e promove uma melhor compreensão das exigências da conservação do património e do investimento humano e financeiro necessário para a concretizar.

 

Visita ‘Do Musgo e da Cortiça – O Restauro do Convento dos Capuchos’ dá a conhecer o projeto

No dia da reabertura, realiza-se a visita ‘Do Musgo e da Cortiça – O Restauro do Convento dos Capuchos’, que pretende proporcionar aos visitantes a descoberta e a compreensão do complexo processo de conservação, restauro e requalificação, que foi iniciado 2013. Envolvendo uma equipa multidisciplinar, o projeto incide na recuperação do conjunto edificado, de todos os elementos construídos e decorativos e aposta na experiência da visita, potenciada por novas valências.

 

Esta visita integra o programa “Visitas aos Bastidores”, uma nova proposta da Parques de Sintra para este verão, que visa dar a conhecer temas e espaços dos parques e palácios sob sua gestão que não estão acessíveis ao público. As visitas são guiadas pelos técnicos que trabalham nos bastidores e que desvendam os segredos do seu trabalho diário. A participação é limitada a 10 pessoas e exige inscrição prévia. O programa completo e demais informações estão disponíveis para consulta no site da Parques de Sintra.

 

Artigo anterior

Tomate Coração de Boi volta a ser estrela nos restaurantes do Douro em agosto

Próximo artigo

Conheça os prazos de validade de vários produtos