Home»BEM-ESTAR»NUTRIÇÃO»Conhece os vários tipos de açúcar?

Conhece os vários tipos de açúcar?

Refinado, mascavado, açúcar de coco, adoçantes… há inúmeras formas de adoçar os alimentos, sabendo nós que há umas versões menos maléficas que outras. A nutricionista Catarina Correia explica as características dos diversos tipos de açúcar que existem no mercado.

Pinterest Google+
PUB

Mel

É um alimento produzido pelas abelhas a partir do néctar recolhido das flores e processado pelas suas enzimas digestivas. Ao contrário do açúcar refinado, o mel possui inúmeros benefícios para a saúde, nomeadamente: poder antioxidante; cicatrização de feridas; propriedades antidiabéticas (devido ao baixo índice glicémico) e atividade antimicrobiana. Relativamente ao valor energético o mel possui 304 kcal por cada 100g, valor substancialmente mais baixo que o açúcar mascavado e o refinado.

 

Açúcar de coco

A extração do açúcar de coco é feita a partir das flores da palma de coco. O néctar dessas flores é retirado e aquecido criando um caramelo espesso. Esse caramelo é então triturado em pequenos cristais. Quanto ao valor energético por cada 100g de açúcar de coco existem 360 kcal, menos que o açúcar mascavado e refinado. O açúcar de coco é considerado um substituto mais saudável ao açúcar refinado devido ao seu baixo índice glicémico.

 

 

Os adoçantes

De forma a substituir o açúcar surgiram os adoçantes, também designados de edulcorantes, que possuem um poder adoçante muito superior ao açúcar.

 

Existem 2 tipos: os calóricos e os não calóricos.  Os calóricos contêm calorias, mas em quantidades significativamente inferiores ao açúcar (polióis (sorbitol, manitol, xilitol, maltitol) e stevia).

 

Os não calóricos, tal como o nome indica, não contêm calorias nem alteram a glicémia. Possuem um poder adoçante muito superior ao açúcar (acessulfame de potássio, sacarina, aspartame, sucralose, ciclamato).

 

Os adoçantes, quando consumidos nas quantidades diárias recomendáveis não representam perigo para a saúde humana nem se relacionam com um aumento do risco de cancro ao contrário do que tem sido afirmado ao longo das últimas décadas.

 

 

Por Catarina Sofia Correia

Nutricionista na Clínica Tejo Saúde, parceira Fitness Hut

 

Artigo anterior

Plantas que resistem ao calor do verão

Próximo artigo

A hora a que se come afeta a nossa tolerância ao sol