Home»GLAMOUR»BELEZA»Conheça os diferentes tipos de esfoliantes

Conheça os diferentes tipos de esfoliantes

É possível acelerar a eliminação das células mortas através do uso de produtos esfoliantes. Estes podem ser classificados em três grupos: físicos, químicos e enzimáticos.

Pinterest Google+
PUB

A pele renova-se de maneira natural através de processos como a queratinização. Nas capas mais profundas da pele, são produzidas novas células que migram posteriormente para a superfície, convertendo as células antigas nas conhecidas células mortas.

 

É possível acelerar a eliminação destas células mortas, através do uso de produtos esfoliantes. Com o uso deste tipo de produtos, ajudamos a pele a melhorar o seu aspeto natural e a sua luminosidade.

 

Os produtos esfoliantes podem ser classificados em três grupos: esfoliantes físicos, químicos e enzimáticos.

 

VEJA TAMBÉM: QUATRO MOTIVOS PARA CONFIAR NOS COSMÉTICOS QUE COMPRA

 

Esfoliantes físicos

Os primeiros, os esfoliantes físicos, são os mais conhecidos de uma forma geral.

Este tipo de esfoliantes são os que contêm, na sua composição, partículas visíveis que eliminam as células mortas por fricção do produto com a pele.

 

Vantagens

Possibilidade de controlar o nível de esfoliação, friccionando mais ou menos o produto na pele de acordo com o desejado.

 

Desvantagens

Normalmente, é uma esfoliação muito superficial e bastante irregular. Por outro lado, existe a possibilidade de arranhar a pele, dependendo do tipo de partículas usadas na fórmula do produto e da força aplicada.

 

Esfoliantes químicos

O segundo grande grupo de esfoliantes, são os esfoliantes químicos, também conhecidos como peelings químicos. Este tipo de esfoliantes pode atuar a diferentes níveis de profundidade.

Os peelings químicos comercializados como cosméticos apenas atuam a um nível superficial. Os restantes peelings, de atuação mais profunda, não se encontram disponíveis para uso em casa. Estes peelings são naturalmente mais eficazes a eliminar imperfeições, no entanto, necessitam de ser aplicados por um médico especializado, como um dermatologista ou um cirurgião plástico.

 

O tipo de esfoliantes químicos para uso doméstico mais conhecidos são os chamados “ácidos”, como por exemplo os Alfa e Beta hidroxiácidos (AHA e BHA).

São por exemplo de AHA, o ácido glicólico, o málico, o mandélico e o tartárico. Dependendo do tipo de AHA usado, podemos obter resultados distintos. É importante ter em conta o tipo de pele e a sensibilidade da mesma para escolher o AHA mais adequado.

 

Embora a intensidade do efeito, dependa muito da concentração do ácido, os BHA, como o ácido salicílico, tem menor ação esfoliante que os AHA, ajudando a limpar e a renovar a pele sem provocar demasiada irritação.

 

O ácido azelaico é outro exemplo de um ativo esfoliante que se enquadra dentro dos esfoliantes químicos. É bastante usado para o tratamento de manchas e tem ainda propriedades anti-inflamatórias.

 

Vantagens

Têm maior capacidade de penetração que os esfoliantes físicos e atuam de maneira mais uniforme.

Muito eficazes no tratamento de marcas de acne e hiperpigmentação.

Estimulam a regeneração celular e a produção de colagénio.

 

Desvantagens

A aplicação pode ser incómoda devido a sensação de ardor que podem provocar. O uso inadequado, pode levar a queimaduras ou irritação da pele.

 

É muito importante ter em conta, que o uso de esfoliantes químicos requer a aplicação diária de protetor solar, pelo menos durante o tratamento.

 

Esfoliantes enzimáticos

A última categoria de esfoliantes, são os esfoliantes enzimáticos, também conhecidos como peelings enzimáticos. Este tipo de peelings, constituídos por enzimas proteolíticas, destroem as estruturas proteicas da camada mais superficial da pele, favorecendo o desprendimento das células mortas.

 

Ajudam a renovar a epiderme e são muito menos agressivos e irritantes que os esfoliantes químicos e os físicos. Desta forma, são o grupo de esfoliantes mais recomendado para as peles sensíveis e também os menos eficazes.

 

Este tipo de esfoliante contém compostos instáveis, pelo que a apresentação mais comum é em formato pó, que deve ser reconstituído em casa antes da aplicação.

 

Vantagens

Aptos para as peles mais sensíveis.

 

Desvantagens

Menos eficiente que os esfoliantes químicos e físicos.

 

É um produto cosmético muito sensível às mudanças de temperatura, o que pode diminuir a eficácia da fórmula.

 

Qual é o melhor tipo de esfoliante?

Depende do tipo de pele e das necessidades da mesma e o mais importante é adequar sempre o produto à nossa pele. No entanto, os esfoliantes químicos são os que mais vantagens e eficácia apresentam.

 

Todavia, não se deve abusar demasiado destes já que podem provocar fotossensibilidade e são pouco tolerados pelas peles sensíveis. Outra questão a ter em conta é que não se devem utilizar esfoliantes químicos, físicos ou enzimáticos ao mesmo tempo.

 

Por último, é importante recordar que não devemos esfoliar demasiadas vezes a pele, já que podemos comprometer a sua proteção.

 

 

Artigo anterior

Alimentação antirrugas: trave o tempo através da nutrição da pele

Próximo artigo

Conheça os prazos de validade de vários produtos