Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Compostagem caseira: como gerir os resíduos orgânicos e ajudar o ambiente

Compostagem caseira: como gerir os resíduos orgânicos e ajudar o ambiente

A compostagem doméstica é uma ação bastante eficiente quando o assunto é a redução dos resíduos domésticos. Imagine agora que o lixo produzido diariamente na sua casa poderia transformar-se num benéfico composto (adubo) para o meio-ambiente.

Pinterest Google+
PUB

3 – Indicações para iniciar a compostagem:

– Na caixa superior deverá adicionar de forma a cobrir o fundo – terra e minhocas;

– Deposite alguns resíduos orgânicos num canto da caixa;

– Cubra tudo com material castanho;

 

Introduza diariamente os restos de comida na caixa superior. Assim que esta esteja totalmente cheia (provavelmente à volta de 30 dias) deverá trocar de lugar com a caixa de baixo. Repita o processo 1 e 2 e, novamente, alimente o compostor de forma diária com os resíduos orgânicos adequados.

 

Quando a segunda caixa também ficar completamente preenchida, poderá retirar o material da primeira caixa, pois a compostagem terminou. Este adubo é rico em nutrientes e está pronto para ser devolvido à natureza. Incorpore-o em jardins, hortas e plantas. Para retirar o material, deixe a caixa exposta ao sol durante algum tempo. Isto fará com que as minhocas mergulhem para o interior da caixa, evitando perdas. As minhocas não gostam de luz ou calor.

 

VEJA TAMBÉM: QUER REDUZIR O USO DE PLÁSTICOS EM SUA CASA?

 

A terceira caixa (na base) não está esquecida. Ela serve para receber todo o líquido orgânico produzido durante o processo de compostagem. Por isso, se a caixa da base tiver uma torneira tanto melhor, pois conseguirá de forma mais fácil recolher este líquido. Tenha em atenção de que este rico biofertilizante apenas poderá ser devolvido à terra, após sofrer uma diluição em água de 1:10 (1 parte de biofertilizante para 10 de água).

 

4 – Vantagens de praticar compostagem em sua casa:

– Reduzir a quantidade de lixo encaminhado para aterros/inceneração;

– “Da terra para a terra” – produção de fertilizante natural;

– Redução da contaminação dos solos e aquíferos;

– Envolvimento consciente da população para temáticas de proteção do ambiente e estilo de vida saudável.

 

 

 

Artigo anterior

Slow marketing: respeitar o tempo dos consumidores

Próximo artigo

Os superalimentos que ajudam no desporto