Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Comportamento: caracterização do perfil de Bruno Lage

Comportamento: caracterização do perfil de Bruno Lage

É no futebol, na vida, no mundo laboral. Os mais fortes emocionalmente são os que enfrentam de forma mais estruturada as dificuldades, encaram com esperança as adversidades e atingem sucesso. Descubra quem é Bruno Miguel da Silva Nascimento e se partilha algumas das suas características.

Pinterest Google+
PUB

Define metas para a equipa e forma como as alcançar, clarificando o papel de cada elemento no processo, reforçando a visão de conjunto, mas também deixando espaço à criatividade individual. A estratégia está definida, mas há espaço para libertar o potencial de cada jogador. O desafio encontrar o equilíbrio perfeito, algo que Lage tem vindo a aperfeiçoar desde a época passada.

 

Treina a equipa para os jogadores estarem sempre pontos, preparados para um novo desafio, uma nova contrariedade. Estimula a resiliência e a união do grupo. Estimula a meritocracia, premeia o trabalho e recompensa o esforço, promovendo a motivação constante dos jogadores e da equipa.

 

Gosta de discutir futebol na sua essência, no seu estado mais puro, as técnicas e as jogadas. Não podemos esperar de Lage alimentar conflitos na Imprensa. O seu foco é o futebol e é sempre dele que vai falar.

 

A sua personalidade, a forma como encara o desporto rei permitem-lhe ter a calma e a tranquilidade para lidar com a adversidade e com a iminência da derrota. O controlo emocional permite-lhe que tenha capacidade de escolher as palavras certas e pensar antes de agir. Trunfos importantes que aliados à riqueza do treino, à exigência do trabalho, à postura de líder-formador poderão fazer a diferença no grande duelo Porto-Benfica.

 

É no futebol, na vida, no mundo laboral, os mais fortes emocionalmente são os que enfrentam de forma mais estruturada as dificuldades, encaram com esperança as adversidades e atingem sucesso. Sabem esperar…

 

Clubismos à parte, gostaria de ser um Bruno Lage? Pense nisso!

 

Artigo anterior

Não bebo água. E agora?

Próximo artigo

Gosta de lampreia? Está à prova até abril