Home»S-Planeta»Como podemos ajudar o planeta através da nossa alimentação

Como podemos ajudar o planeta através da nossa alimentação

O Programa das Nações Unidas para o Ambiente traça dez estratégias simples que cada cidadão pode levar a cabo para ajudar a combater a poluição e desperdício gerados pela cadeia alimentar, reduzindo assim o seu impacto ambiental.

Pinterest Google+
PUB

Entender o alimento como um processo e não um produto

As pessoas costumam ver comida na prateleira e não pensam muito sobre como ela lá foi parar. Mas entre a plantação e o garfo, os alimentos têm de ser processados, embalados, transportados, comercializados e vendidos. Muitos desses estágios podem ser prejudiciais ao planeta. Quando a pessoa considera todo o sistema alimentar, está mais bem posicionada para fazer escolhas informadas sobre o que come.

 

Apoiar a agricultura sustentável

Compre a comida em produtores e lojistas especializados em produtos sustentáveis. A agricultura sustentável usa até 56 por cento menos energia, cria 64 por cento menos emissões de gases de efeito estufa e permite maiores níveis de biodiversidade do que a agricultura convencional. E como os produtos produzidos de forma sustentável são tipicamente mais intensivos em mão-de-obra, podem criar 30% mais empregos.

 

Saiba o que está a comer

Pesticidas, herbicidas e produtos antimicrobianos são frequentemente usados ​​para aumentar a produção agrícola e pecuária, mas podem ter efeitos prejudiciais na saúde humana. A descarga das plantações também pode contaminar os ecossistemas aquáticos e poluir o solo.

 

Leia os rótulos, faça perguntas e faça pesquisas sobre a origem dos alimentos e como são produzidos. Escolha alimentos integrais cultivados de forma sustentável em vez de produtos cultivados intensivamente.

 

VEJA TAMBÉM: CAFÉ SUSTENTÁVEL: METADE DOS NOVOS LANÇAMENTOS TÊM ETIQUETA ECOLÓGICA

 

Plante os seus alimentos

Cultivar os seus próprios produtos elimina a necessidade de produtos químicos, como pesticidas, embalagens, conservantes, combustível para transporte e armazenamento na cadeia de frio. Frutas, vegetais e ervas na sua forma mais natural também são os mais nutritivos. São ricos em vitaminas com efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios e têm um custo relativamente baixo.

 

Compre localmente

Além de apoiar pequenas empresas e quintas, a compra de alimentos produzidos localmente reduz as emissões de combustíveis fósseis associadas ao transporte e armazenamento da cadeia de frio. Também diminui o potencial de perda de alimentos ao longo do caminho.

 

Adote uma dieta rica em vegetais

A procura por proteína animal com uso intensivo de recursos cresceu dramaticamente nos últimos anos. Atualmente, cerca de 60 por cento das terras agrícolas do mundo são usadas para pastagem de gado, além de que as pessoas estão a consumir mais alimentos de origem animal do que é saudável.

 

A adoção de dietas ricas em vegetais usaria menos terra, produziria menos gases de efeito estufa, exigiria menos água e melhoraria o bem-estar animal. Também disponibilizaria mais terras agrícolas. A adoção de dietas ricas em vegetais também pode ajudar a reduzir doenças crónicas.

 

Salada

Diversifique a sua dieta

Em todo o mundo, as dietas são cada vez mais homogéneas e desproporcionalmente ricas em energia e pobres em macronutrientes. Nos últimos 100 anos, mais de 90 por cento das variedades de culturas desapareceram. Hoje, apenas nove espécies de plantas respondem por 66 por cento da produção total. Quase uma em cada três pessoas sofre de alguma forma de desnutrição.

 

Reduza o desperdício de alimentos

Um terço de todos os alimentos produzidos é perdido ou desperdiçado. O Relatório do Índice de Desperdício de Alimentos do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente considera que é um fenómeno global que afeta todos os níveis de rendimento.

 

Para reduzir o desperdício, planeie com antecedência e compre apenas os alimentos que sabe que usará. Aproveite cada parte comestível dos alimentos. Meça o tamanho das porções de arroz e outros alimentos básicos antes de cozinhá-los, armazene os alimentos corretamente, seja criativo com as sobras. Finalmente, faça compostagem com restos não comestíveis.

 

Evite embalagens desnecessárias

As embalagens de alimentos tendem a acabar em aterros sanitários ou a poluir o planeta. Sempre que possível, escolha produtos alimentícios não embalados, de forma sustentável ou minimamente embalados. Use cestos para comprar alimentos, carregue sacolas reutilizáveis ​​ou de pano e armazene os alimentos em potes de vidro ou embrulhe-os em materiais sustentáveis.

 

Faça sua voz ser ouvida

O mundo gasta cerca de 1 milhão de dólares por minuto para subsidiar os sistemas alimentares existentes, distorcendo os mercados, impedindo mudanças e prejudicando a saúde humana e ambiental, diz o PNUMA.

 

Ajude a pressionar os governos a promover uma transição em direção à agricultura sustentável e a dar prioridade à redução do desperdício de alimentos. Solicite transparência junto dos produtores, lojistas e serviços sobre as práticas agrícolas, ingredientes e os seus valores nutricionais. Use as redes sociais para fazer passar a mensagem junto do seu círculo de influência.

 

 

Artigo anterior

O cão é o melhor amigo do homem e também do coração

Próximo artigo

Nove sinais de que o seu filho pode precisar de um exame aos olhos