Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Como podem os amigos de quatro patas ajudar a promover o bem-estar e a saúde

Como podem os amigos de quatro patas ajudar a promover o bem-estar e a saúde

Mais conhecido como o melhor amigo do homem, o cão é não só uma grande companhia como pode também ser um elemento essencial para a sua saúde. A instrutora de cães de assistência, Daiana Ferreira, explica-lhe tudo acerca das intervenções assistidas por animais.

Pinterest Google+
PUB

Também a agressividade do animal deve ser avaliada, para a segurança de todos os envolvidos no processo. «Por último, o animal deve conhecer, sentir-se confortável e estar preparado para intervir com os coletivos aos quais será destinada a intervenção. Por exemplo, a preparação de um cão de terapia para trabalhar junto à população com perturbação do espetro do autismo poderá ser muito distinta daquele que trabalhará com mulheres vitimas de violência de género».

 

Estas terapias, que ao longo dos anos têm ganho cada vez mais adeptos têm bastantes benefícios associados, «desde a melhoria da motivação ao aumento da produtividade das sessões. Nas sessões o animal poderá ser uma fonte de contato físico, poderá potenciar a aprendizagem, ser um facilitador social, fonte de emoções positivas, elevador das taxas de atitudes, promotor da autoestima e autoconfiança ou um estímulo multisensiorial».

 

VEJA TAMBÉM: HISTÓRIAS DE ANIMAIS HERÓIS

 

Através da sua experiência na área, Daiana Ferreira destaca alguns destes benefícios, «o animal é um estimulo sócio-afetivo, intervém na sessão como um elemento vivo que, para além de nos aportar espontaneidade, facilita o processo de vinculação sócio-afetiva na tríade participante e família-animal-profissional. O animal de terapia é também multi-funcional, tanto pode assumir um papel de reforçador, aumentando a motivação para a realização de um determinado comportamento, como pode atuar como um apoio, reduzindo a frustração da pessoa na sessão de trabalho». A função do animal varia não só ao longo do processo terapêutico como pode variar ao longo da mesma sessão.

 

«Os animais, e especialmente quando nos referimos aos cães de terapia, detêm um nível muito elevado de adaptabilidade, seja às condições físicas dos locais de trabalho, às características específicas do coletivo com o qual trabalha ou ao indivíduo em particular, até à própria evolução no processo terapêutico. Os cães são altamente versáteis e adaptáveis a estas condições o que, da perspectiva profissional, os torna em elementos de apoio muito produtivos», explica a instrutora.

 

VEJA TAMBÉM: CÃES GULOSOS: A COMIDA DE HUMANOS QUE ELES PODEM OU NÃO COMER

 

Além de tudo isto, é importante notar que os benefícios das terapias assistidas por animais não se verificam apenas nas famílias e nos profissionais que trabalham no processo de reabilitação, «As famílias também interagem com os animais e, comumente, ao haver impacto na motivação, participação e produtividade das sessões, isso costuma promover a própria motivação e bem-estar das famílias».

 

Olhando para tudo isto é fácil perceber que o papel destas intervenções é não só necessário como é também uma forma muito mais rápida, lúdica e benéfica de atingir o bem-estar e a saúde dos participantes. Veja tudo na galeria no início do artigo.

Artigo anterior

Crianças e ecrãs: não é o tempo mas sim a forma que indica se o seu filho está viciado

Próximo artigo

Sobremesas light: dicas para manter todo o sabor