Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»Como educar um filho sem desautorizar o parceiro

Como educar um filho sem desautorizar o parceiro

A verdade é que nem sempre os pais estão de acordo quando chega o momento de educar uma criança. Em que escola inscrever o filho, que tipo de educação dar, de que forma deve ser repreendido são algumas das decisões que os pais têm que tomar e que podem provocar alguns momentos de tensão.

Pinterest Google+
PUB

É normal os casais discutirem por causa dos filhos e de como os educar, afinal são duas pessoas com vivencias diferentes a quererem fazer passar uma mensagem. A experiência da parentalidade por vezes consegue ser uma experiência frustrante e stressante, se ambos os educadores não estiverem na mesma ‘página’ no que toca a educar uma criança.

 

Quando discutem, independentemente do motivo, não é só o casal que sai afetado, mas também a criança. Esta, segundo a psicóloga infantil Karen Tien, da University Hospitals Rainbow Babies & Children’s Hospital,  pode «estar a lutar emocionalmente ou ao nível do comportamento por causa desses conflitos parentais».

 

Para a psicóloga infantil, a educação de uma criança deve ser antecipada por fases, já que os problemas de criar uma criança são diferentes dos problemas de criar um adolescente. Estes problemas devem ser discutidos previamente, longe da criança, para saberem as posições que têm e evitar discussões. O que permite apresentar uma frente unida em frente dos filhos.

 

VEJA TAMBÉM: AJUDE OS SEUS FILHOS A DESLIGAREM-SE DA TECNOLOGIA

 

Esta é uma das dicas que a psicóloga infantil Karen Tien tem para que eduque uma criança sem desautorizar o seu companheiro. Mas para que a experiência da parentalidade seja feita com muito humor e amor, deve trabalhar na compaixão, planeamento e comunicação. Só desta forma é que terá um lar mais pacífico, menos discussões e uma criança mais feliz e mentalmente saudável.

 

Assim, a parentalidade deve ser encarada da seguinte forma

Discuta a educação dos seus filhos – É melhor discutir os problemas previamente para poderem saber as posições a tomar sobre os mesmos.

 

Não argumente em frente dos seus filhos – Ao argumentar em frente dos seus filhos vai prejudicar a autoridade do seu companheiro e demonstrar que não sabem o que estão a fazer.

 

Mantenha a sua palavra – Quando os pais são consistentes com as regras e expectativas, as crianças têm menos probabilidade de abordar o outro parceiro quando não gostam de uma decisão tomada por um dos pais. Se o seu filho sabe que um dos pais tem uma decisão mais fraca, ele pode continuar a ir até esse pai, o que pode levar a uma divisão.

 

Tenha uma atitude gentil – Todos os pais querem o melhor para os seus filhos e mesmo que não concorde com a atitude que o seu companheiro está a tomar ouça o que tem a dizer.

 

Escolha as suas batalhas – A parentalidade é uma longa jornada e como tal deve escolher bem quais são as batalhas que quer travar, tanto para o bem da sua parceria como do seu filho.

 

Não fale mal do seu parceiro ao seu filho – Não descarregue no seu filho as frustrações que tem com o seu companheiro nem fale mal do mesmo pois a criança nem pode fazer o papel de mediador ou árbitro.

 

Não tome decisões instantâneas – Só porque o seu filho quer uma resposta instantânea, não é obrigada a dar-lha.

 

Não assuma que tem toda a razão do mundo – A sua visão não tem que estar 100% correta. Pergunte a opinião do seu parceiro e se não se entenderem devem procurar ajuda externa ou acompanhamento para vos ajudar a ultrapassar situações mais stressantes.

 

 

Artigo anterior

A importância da limpeza de pele

Próximo artigo

Novo set da LEGO celebra a diversidade dos fãs