Home»BEM-ESTAR»SAÚDE»Como ajudar alguém com pensamentos suicidas?

Como ajudar alguém com pensamentos suicidas?

Os recentes suicídios de figuras mediáticas como o chef Anthony Bourdain e a estilista Kate Spade, na mesma semana inclusive, trouxeram à tona uma temática com preocupações crescentes no mundo ocidental. Numa sociedade cada vez mais frenética, como perceber ou ajudar quem tenha este tipo de pensamentos? A Linha Nacional de Prevenção do Suicídio dos EUA criou um guia que ajuda a identificar alguns sinais e a agir em conformidade.

Pinterest Google+

Muitas são as pessoas que morrem diariamente por ter cometido suicídio, vítimas de doenças mentais não tratadas ou não acompanhadas devidamente por um médico. A saúde mental e o suicídio não têm impacto apenas na pessoa mentalmente perturbada, mas sim em todos os que o rodeiam e que fazem parte da sua vida, como a família, os amigos e os colegas de trabalho.

 

Recentemente, o suicídio de Anthony Bourdain ocorrido dias depois de o mesmo ato ter sido cometido pela estilista Kate Spade, ambos figuras mediáticas nos EUA, recuperou um tema crescente e preocupante da sociedade atual. Nessa mesma semana, um estudo indicava que o suicídio tem crescido exponencialmente nos EUA, nomeadamente 25% nas últimas duas décadas. Por lá, o suicídio constitui já a 10ª maior causa de morte.

 

VEJA TAMBÉM: SINAIS DE QUE O STRESS SE PODE ESTAR A TRANSFORMAR NUMA DEPRESSÃO

 

Em Portugal, segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a taxa média de suicídios está acima da média global, nomeadamente 13,7 por cem mil habitantes, face a uma taxa mundial de 10,7.

 

Ainda segundo a OMS, suicidam-se diariamente em todo o mundo cerca de 3000 pessoas, uma a cada 40 segundos.  E por cada pessoa que se suicida, 20 ou mais cometem tentativas de suicídio. O número anual de suicídios representa cerca de metade de todas as mortes violentas registadas no mundo, estimando-se que, em 2020, esse número atinja 1,5 milhões, revela a OMS.

 

VEJA TAMBÉM: FERNANDO MAGALHÃES: «A DEPRESSÃO APARECE MUITAS VEZES DE FORMA LENTA E DESPERCEBIDA»

 

Este ato de desespero está comumente associado a depressões, alcoolismo, desordens bipolares, esquizofrenia e ansiedade extrema. Estima-se que cada tentativa de por termo à vida afeta pelo menos seis pessoas circundantes e, portanto, milhões sofrem com este problema todos os anos.

 

Contudo, nem sempre é fácil ajudar as pessoas que estão desesperadas e que querem por termo à vida. Nesse sentido, a Linha Nacional de Prevenção ao Suicídio dos EUA apresenta um guia onde dá cinco dicas para ajudar quem se defronta com esta situação. Veja na página seguinte.

Artigo anterior

Universidade do Porto lança Enciclopédia de Cuidados Paliativos

Próximo artigo

As dicas de beleza de… Inês Folque