Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Cientistas da Mayo Clinic criam meio preditivo de cálculos renais

Cientistas da Mayo Clinic criam meio preditivo de cálculos renais

Os cálculos renais são não só dolorosos como também recorrentes. A maioria das pessoas que sofre as dores de um primeiro episódio de pedras nos rins quer saber qual a probabilidade de ter outro no futuro. O modelo de previsão pode ser consultado online ou através de uma aplicação.

Pinterest Google+

Os cientistas da Mayo Clinic, EUA, criaram um meio que permite calcular a possibilidade de alguém vir a ter cálculos renais, com base na análise das características conhecidas das pessoas que formam pedras nos rins e nas informações que vão sendo adicionadas ao sistema.

 

A equipa de pesquisadores usou dados de uma amostra de residentes americanos que formaram pedras nos rins cronicamente entre 1984 e 2017. As características comuns dos pacientes que apresentaram eventos recorrentes de cálculo foram: menor idade, sexo masculino, maior índice de massa corporal, história de gravidez e história familiar de cálculos. Os cientistas também observaram que a recorrência das pedras tende a aumentar após cada evento e que tanto o tamanho quanto a localização das pedras também estão relacionadas com o risco de sofrer novamente no futuro.

 

VEJA TAMBÉM: MOTORISTA, DENTISTA E CIRURGIÃO: O PÓDIO DAS 10 PROFISSÕES QUE MAIS PROVOCAM DORES NAS COSTAS

 

Os pesquisadores usaram esses recursos para criar um meio preditivo na Internet, chamado ‘recorrência de pedras nos rins’, o que lhes permitiu melhorar os critérios conhecidos sobre o futuro aparecimento de pedras. Este novo meio insere informações sobre sexo, raça e história pessoal de pedras nos rins para calcular a recorrência, por exemplo. «Temos em consideração todos os fatores de risco identificados num modelo que calcula o risco de sofrer de outra pedra nos próximos 5 ou 10 anos», explica John Lieske, um dos pesquisadores do estudo.

 

A atualização do modelo com os dados recolhidos do estudo melhorou a capacidade de prever eventos posteriores. Como o risco de recorrência de cálculos varia de acordo com fatores pessoais, essas informações podem ser úteis para os pacientes e seus cuidadores decidirem se devem tomar medidas para reduzir o risco de recorrência de cálculos. O meio está disponível online e também pode ser usado em estudos para identificar pacientes com maior probabilidade de sofrer mais episódios de pedras nos rins.

 

VEJA TAMBÉM: EIS PORQUE O STRESS PÕE AS PESSOAS DOENTES

 

Os dados utilizados no modelo foram baseados nos resultados obtidos no Condado de Olmsted, Minesota. Portanto, será necessário determinar se os resultados são transferíveis para outros ambientes.

 

Ter um conhecimento básico sobre os fatores de risco para a recorrência de cálculos e a possibilidade de eventos futuros pode ser um incentivo para as pessoas modificarem o seu estilo de vida. Conhecer a probabilidade de sofrer eventos futuros de pedras nos rins pode, segundo Lieske, servir para motivar «o entusiasmo do paciente para adotar medidas alimentares ou iniciar um regime de tratamento para evitar futuros episódios».

 

Artigo anterior

Divorcio-me ou não me divorcio?

Próximo artigo

Alimentos altos em colesterol... mas saudáveis