Home»VIDA»CARREIRA»César Carvalhosa: «Desenhar para a LEGO é o concretizar de um sonho»

César Carvalhosa: «Desenhar para a LEGO é o concretizar de um sonho»

É licenciado em Desporto e Educação Física, mas em 2016 foi contratado pela LEGO como designer de modelos destes brinquedos. Desde então, tem trabalhado na linha ‘Star Wars’, em Billund, na Dinamarca. Já criou modelos icónicos como o X-Wing Star Fighter, a Cabana do Yoda e mais recentemente a Treehouse. De passagem por Portugal para participar na Comic Con, César Carvalhosa contou-nos um bocadinho mais sobre a sua vida e o seu trabalho (de sonho).

Pinterest Google+

Como é um que um licenciado em Desporto e Educação Física vira designer da LEGO?

O LEGO sempre foi o meu brinquedo de eleição quando era criança. Lembro-me de passar horas e horas a construir e reconstruir os sets e as minhas próprias criações. No entanto, na idade adulta apenas redescobri a minha paixão pelas pequenas peças de plástico por acaso, enquanto via um episódio de uma sitcom muito conhecida em que um dos protagonistas construía um set de LEGO de Star Wars. Fiquei curioso, fui investigar online e descobri o fantástico mundo dos Adultos Fans de LEGO. Dai até voltar ao hobbie e concorrer para uma vaga de designer na empresa decorreu cerca de um ano.

 

Como foi a sua reação quando o convidaram a mudar-se para a Dinamarca para desenhar Legos?

Quando concorri para referida vaga, decidi imediatamente que se fosse convidado a minha resposta seria sim. Lembro-me de perder as forças nas pernas quando me telefonaram com a oferta. Acho que só apenas uns dias depois me apercebi realmente que tinha conseguido o emprego de sonho e em como a minha vida iria mudar radicalmente.

 

Para quem adorava Legos desde pequeno, desenhar estes brinquedos é o concretizar de um sonho?

Absolutamente. Pela primeira vez na minha vida posso afirmar com plena convicção que ir para o trabalho todos os dias de manhã é um prazer. A LEGO é uma empresa muito boa para trabalhar, no geral. Mas ser LEGO Designer torna o emprego ainda mais aliciante. Eu “brinco” com peças LEGO praticamente todo o dia, e ter a oportunidade todos os dias de desenhar sets que irão estar nas mãos de milhares de crianças é simplesmente fantástico.

 

VEJA TAMBÉM: PROGRAMA DE MINDFULNESS DA GOOGLE CHEGA A PORTUGAL

 

Que sets já desenhou e qual destaca mais?

Já desenhei cerca de 13 conjuntos oficiais. Desses eu destaco o 75176 – LEGO® Star Wars Pod™ de Transporte da Resistência, 75200 – LEGO® Star Wars™ Treino na Ahch-To Island™, 75208 – LEGO® Star Wars™ A Cabana de Yoda, 75218 – LEGO® Star Wars™ X-Wing Starfighter™, 75244 – LEGO® Star Wars™ Tantive IV™ e 21318 – LEGO Ideas A Casa da Árvore. Este último não pertence a linha de Star Wars mas foi um projeto especial, do LEGO Ideas, e como sou grande fã de casas na árvore foi um prazer poder trabalhar nesse.

 

A guerra ao plástico instalou-se no mundo. Como é que a LEGO está a dar a volta, uma vez que é o material usado nos sets?

A LEGO tem uma política de sustentabilidade muito forte e já há bastantes anos que tem feito um esforço muito grande para reduzir a pegada de carbono com a produção de plástico. Aliás neste momento está em curso uma operação e um plano que visa tornar a produção de plástico totalmente sustentável até 2030. Já há, inclusive, muitas peças no mercado neste momento que são produzidas de forma sustentável. Como o set LEGO Ideas A Casa da Árvore, em que todas as peças de vegetação – mais de 180 elementos – são feitos em cana de açúcar.

 

Desde os sets para pessoas com deficiência visual à introdução de figuras mais próximas da vida real, qual a importância para a empresa fazer passar esta mensagem?

Pormenores reais como a cadeira de rodas ou diferentes tons de pele e características físicas para as minifiguras demonstram bem isso. A LEGO tem orgulho em ser uma empresa que abraça a inclusão e a diversidade. No mundo atual, com tanta diversidade e diferentes culturas, é importante ser respeitador e inclusivo, porque brincar é um direito de todos e a LEGO tem isso bem em mente.

 

VEJA TAMBÉM: BAIRRO METROPOLITAN: ESTÁ A CHEGAR UM NOVO BAIRRO À CIDADE DE LISBOA

 

Com que idade recebeu o primeiro Lego e qual era?

O primeiro set com o qual tenho memória de brincar foi o 6951 – Robot de Centro de Comando de 1984. Eu devia ter cerca de 7 anos. Tenho a certeza de que tive sets anteriores a este, mas não me recordo de quais foram.

 

Continua a montar sets por diversão?

Sim, claro! Para minha pura diversão e entretenimento, normalmente sets que são mais direcionados para adultos, como os modulares de Creator Expert ou os Ultimate Colector Series de Star Wars, mas também com os meus filhos. Neste caso são normalmente sets mais pequenos e com mais funções que permitem brincar mais.

 

Como é para um português viver na Dinamarca?

A qualidade de vida aqui é extremamente alta. Os salários são justos e adequados, o balanço entre trabalho, vida social e família é muito saudável e o país no geral é muito seguro e agradável para se viver. Claro que há coisas que nunca serão como em Portugal e de algumas eu sinto muita falta, como a comida e o bom tempo. Estar longe da família e de alguns amigos custa, claro, mas com algumas viagens anuais e chamadas no Skype, custa menos um bocadinho.

 

VEJA TAMBÉM: MATOSINHOS RECEBE FESTIVAL DE CINEMA DEDICADO AO PODER DAS VIAGENS

 

No que é que está a trabalhar atualmente?  

Infelizmente não posso comentar acerca dos sets nos quais estou a trabalhar neste momento, mas posso dizer que continuo no tema de Star Wars e que estou a trabalhar em surpresas muito excitantes que irão sair para o mercado muito em breve.

 

Que projetos tem para o futuro?

Neste momento, o meu futuro passa por estar a trabalhar na LEGO como designer no tema de Star Wars. Eventualmente, no futuro, gostaria de trabalhar noutros temas como Creator Expert ou Super Heroes. Seja como for, não tenciono deixar a LEGO num futuro próximo.

 

Veja no início do artigo a galeria com alguns dos sets criados por César Carvalhosa.

 

 

Artigo anterior

Potencie as várias áreas da sua vida com a energia do Feng Shui

Próximo artigo

Designers portugueses apresentam moda sustentável na London Fashion Week