Home»ATUALIDADE»LANÇAMENTOS»Cereja do Fundão é o novo sabor da Compal

Cereja do Fundão é o novo sabor da Compal

A edição limitada vai chegar a todos os cafés e supermercados do país

Pinterest Google+
PUB

A marca Compal acaba de lançar uma edição limitada no mercado nacional, o novo Compal Clássico Cereja do Fundão, uma proposta única e inovadora no mercado que resulta de uma parceria com a Câmara Municipal do Fundão.

 

«Este novo néctar foi produzido a partir da polpa das cerejas descaroçadas, e por isso tem um aroma muito próximo do fruto, um sabor mais natural e uma doçura muito equilibrada, que só as melhores Cerejas do Fundão podem dar. A imagem da embalagem remete para as cerejeiras em flor, tão típicas desta região da Beira Interior», revela a empresa em comunicado.

 

A estratégia da Câmara Municipal do Fundão centra-se, essencialmente, na criação de parcerias, neste caso com a marca Compal, para promover os produtos da região. «Esta é mais uma parceria que se insere na estratégia de apoio, desenvolvimento e promoção dos produtos da nossa região. Consideramos que a parceria com uma das marcas mais conceituadas a nível nacional, na área dos néctares de fruta, é um enorme reconhecimento do enorme valor da Cereja do Fundão. Este novo néctar permite saborear este fruto fora do seu período habitual de consumo, de uma forma fresca e natural», salienta Paulo Fernandes, presidente da Câmara Municipal do Fundão.

 

Veja a galeria: Tudo o que precisa de saber sobre cerejas

 

A Cereja do Fundão distingue-se pelas suas características únicas, consequência das condições muito particulares em que é cultivada. A Serra da Gardunha oferece às cerejeiras condições climáticas específicas e tem solos ricos em potássio que conferem o especto e o sabor inconfundíveis ao fruto. Uma cerejeira precisa de 800 a 1000 horas de frio todos os anos para produzir uma boa cereja. A sua colheita começa em meados de maio e prolonga-se até ao mês de agosto, período ideal para consumir este produto.

Artigo anterior

Adriana Lima revela o lado mais difícil da profissão

Próximo artigo

Delícia de chia e romã