Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»CE: até 2030 todas as embalagens de plástico deverão ser recicláveis

CE: até 2030 todas as embalagens de plástico deverão ser recicláveis

A medida faz parte da primeira estratégia europeia concertada para resíduos de materiais plásticos e pretende proteger o planeta, defender os cidadãos e capacitar as indústrias da União Europeia.

Pinterest Google+

Até 2030, todas as embalagens de plástico no mercado da União Europeia (UE) deverão ser recicláveis, o consumo de objetos de plástico descartáveis será reduzido e a utilização intencional de microplásticos será restringida.

 

Esta é uma das medidas primeira estratégia para resíduos de materiais plásticos, adotada pela Comissão Europeia (CE) a 16 de janeiro e que se integra no processo de transição para uma economia mais circular, revela a CE em comunicado.

 

VEJA TAMBÉM: SUSTENTABILIDADE, A TENDÊNCIA QUE CHEGOU AO MUNDO DAS PROMOÇÕES

 

Esta estratégia protegerá o ambiente da poluição pelo plástico, fomentando, simultaneamente, o crescimento e a inovação, e transformando um desafio numa agenda positiva para o futuro da Europa, explica a CE. Há uma razão económica de peso para se alterar a forma de conceção, produção, utilização e reciclagem dos bens fabricados na UE; colocando-nos na vanguarda desta transição, criaremos novas oportunidades de investimento e novos postos de trabalho.

 

Frans Timmermans, primeiro vice-presidente da Comissão e responsável pelo desenvolvimento sustentável, declarou: «Se não mudarmos a forma como produzimos e utilizamos os objetos de plástico, em 2050, haverá mais plástico do que peixes nos nossos oceanos. Temos de impedir que o plástico continue a insinuar-se nos nossos corpos através da água e dos alimentos que consumimos. A única solução a longo prazo é diminuir a quantidade de resíduos de plástico, reciclando e reutilizando mais. Trata-se de um repto a que cidadãos, indústria e governos devem responder conjuntamente. Com a sua Estratégia para os Plásticos, a UE está a promover um modelo económico novo, mais circular. Temos de investir em tecnologias novas, inovadoras, que preservem os cidadãos e o ambiente, e, simultaneamente, mantenham a competitividade da nossa indústria.»

 

VEJA TAMBÉM: MARCAS PORTUGUESAS EM DESTAQUE NA FEIRA DE MODA SUSTENTÁVEL EM BERLIM

 

Por sua vez, o vice-presidente Jyrki Katainen, responsável pelo emprego, crescimento, investimento e competitividade, afirmou: «Com a nossa estratégia para os plásticos, estamos a lançar os alicerces de uma nova economia para este material, uma economia circular, e a fomentar investimentos nesse sentido. Esta estratégia ajudará a reduzir o lixo de plástico em terra, no mar e no ar, e criará, ao mesmo tempo, novas oportunidades para a inovação, a competitividade e o emprego de elevada qualidade. Esta é uma grande oportunidade para que a indústria europeia consolide, ao nível mundial, a sua posição de vanguarda em novas tecnologias e materiais. Os consumidores são habilitados a fazer escolhas conscientes a favor do ambiente. Trata-se de uma mudança que só traz benefícios.»

 

Os europeus geram, anualmente, 25 milhões de toneladas de resíduos de plástico, das quais menos de 30 % são recolhidas para reciclagem. Os plásticos constituem 85 % do lixo encontrado nas praias de todo o mundo. Os plásticos chegam, inclusivamente, aos pulmões e à mesa de jantar dos cidadãos, sob a forma de microplásticos, que pairam no ar e se encontram na água e nos alimentos, sendo desconhecidas as suas implicações para a saúde. Com a nova estratégia europeia para os plásticos, baseada no trabalho anteriormente desenvolvido pela Comissão, este problema será enfrentado resolutamente.

Artigo anterior

Marcas portuguesas em destaque na feira de moda sustentável em Berlim

Próximo artigo

Estudo: exercícios faciais ajudam mulheres de meia idade a parecerem mais novas