Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Cativar os Doshas: Vata, Pitta e Kapha na relação

Cativar os Doshas: Vata, Pitta e Kapha na relação

Compreendermos os doshas dos nossos parceiros é uma ferramenta importante para melhorar um relacionamento. Contudo é de evitar diagnosticar e julgar o outro, pois na verdade somos únicos e manifestamos todos várias facetas de cada dosha no nosso interior.

Pinterest Google+
PUB

Na Ayurveda toda a matéria vibrante é constituída pelos cinco Elementos da Natureza: Terra, Água, Fogo, Ar e Éter. Os cinco Elementos envolvem-se, interagem e enamoram-se originando por sua vez as constituições básicas da Ayurveda, ou Prakriti, compostas pelo Vata (Éter e Ar), o Pitta (Fogo e Água) e o Kapha (Terra e Água). Somos todos constituídos por uma composição única e dinâmica dos Doshas, e entendermos a sua interação na nossa fisiologia e também na nossa personalidade ajudam-nos a aceitarmos com maior tranquilidade as nossas preferências, ideais, rotinas (ou a falta delas), hábitos e características específicas, que tão facilmente dão cor e interferem nos nossos relacionamentos. Compreendermos a nossa constituição e a do nosso parceiro é uma mais valia para construção de uma relação mais fluida e bem-sucedida.

 

Os tipo Vata

Os Vata são naturalmente espontâneos, leves, criativos, expressivos e desordenados. Os planos que elaboram são frequentemente instáveis e mutáveis. Eles aprendem rapidamente, esquecem rápida e facilmente os seus compromissos, e são bastante charmosos, poéticos e leves na forma como se libertam do peso de uma tarefa ou acordo em falta, por isso é importante levar com leveza as promessas do Vata, e abrir espaço para a surpresa e para a mudança de planos.

 

Quando em equilíbrio, eles são uma companhia estimulante, já que adoram conversar e têm intelectos criativos. Desequilibrados, eles podem ficar stressados, nervosos e preocupados, podendo facilmente constipar-se ou adoecer. Devido à falta do elemento fogo, os Vata tendem a sentirem mais frio, a terem má circulação, sobretudo nos pés e nas mãos, e a terem um sistema digestivo mais fraco. Pela ausência do elemento terra, os Vata podem facilmente desenraizar-se e dispersar. No corpo o desequilíbrio manifesta-se como insónia, obstipação, e  um sistema nervoso delicado e hipersensível, sobretudo a estímulos externos, ruídos e luzes a piscar . O desafio emocional maior do Vata é a ansiedade e o medo (por vezes irracional), que os deixam instáveis e inseguros, sendo por isso importante ajudar a dissipar a preocupação, com palavras amorosas, ânimo, esperança, confiança e enraizamento. A resistência do Vata é a mais baixa de todos os Doshas, devendo por isso praticar exercícios moderados e serem mimados com pequenos lanches, já que se esquecem de comer e se cansam mais facilmente.

 

Como o vento, eles movem-se rapidamente, falam rápido e flutuam de ideia em ideia. São como borboletas sociais, os artísticos, os dançarinos e os sonhadores. Filmes, músicas, festas e / ou sons altos ou cheios de suspense podem criar desequilíbrio nos tipos Vata, sendo mais aconselhável passeios em dias solarengos na natureza ou atividades partilhadas que enraízem. Os Vata tendem a ser secos e frios por constituição, e períodos prolongados em clima rigoroso provavelmente resultarão em desconforto, aconselhando-se trazer um casaco ou coberta extra para manter o Vata aconchegado. É importante limitar o tempo ao ar livre em climas frios / ventosos / áridos, e planear momentos que tragam calor, uma bebida quentinha e alimentos calmantes, oleosos e cozidos.

 

Os tipos Vata têm dificuldade em adormecer, dormir em novos ambientes, com novos estímulos e / ou com pessoas. Um cobertor pesado (sobretudo no Inverno), e a integração de rituais do deitar são extremamente importantes para que eles tenham um sono reparador. Reconhecer a importância do sono fará toda a diferença na boa disposição do Vata pela manhã.

 

É da natureza dos tipos Vata serem inconstantes nas relações, às vezes isso requer algum compromisso real dos seus parceiros, com a garantia de um relacionamento cheio de variedade e emoção se o fizerem. Como os beija-flores, os Vata têm também a tendência para variarem facilmente de parceiro.

 

Para surpreender um tipo Vata convide-o para uma noitada na galeria de arte, uma peça, um encontro poético, uma volta num parque de diversões, um fim de semana num ashram, ou uma reunião espiritual, uma dança à luz do dia.

 

A massagem para o tipo Vata pode ser feita com óleo de sésamo quente, e óleos essenciais enraizantes e quentes como a bergamota, o pau-rosa, o gengibre e a canela, e/ou óleos essenciais calmantes como a lavanda ou a laranja doce. Aquecer sobretudo a zona lombar, podendo-se usar uma botija de água quentinha.

 

Continua na próxima página…

Artigo anterior

Ambientalistas alertam para avanço lento do planeamento hídrico ibérico

Próximo artigo

Clichés no online dating: o que nunca deve dizer no seu perfil