ESPECIALISTAS

Diz-se que alguém está em efeito quando, de acordo com a pessoa, as coisas que lhe acontecem são ou foram causadas pelos outros, ou algo externo a si. Por Sérgio Oliveira.

Confesso que, ao ver tudo aquilo que estas mulheres sofreram, para hoje nós mulheres livres podermos ter o direito a ter voz, desencadeia em mim uma espécie de volta ao estômago quando há alguém, sobretudo do sexo feminino, a dar-se ao luxo de preterir o direito ao voto em troca de uma esplanada. Por Sofia Rijo.

Ou, mesmo que não seja, assume que sim! E quando chamam a sua atenção para esse facto, você ainda pede desculpa porque assume a culpa de incomodar muito as pessoas por ter esse péssimo hábito! Por Nuno Cristiano de Sousa.

A terminologia usada para definir a nova geração que muda de país é representativa da mudança de mentalidade quanto à emigração. Por Joana de Sousa Costa.

Já lhe aconteceu estarem a explicar-lhe alguma coisa e, ao repararem que não está a perceber, perguntaram-lhe: “Queres que te faça um desenho?” Talvez já tenha acontecido e com frequência. Por Sérgio Oliveira.

Aquele que discute com o sexo feminino, mais concretamente com a companheira, namorada, esposa ou derivados só tem duas hipóteses: admitir que ela está certa, ou admitir que está errado. Por Sofia Rijo.

O tipo de gordura que escolhemos tem um impacto significativo na nossa saúde, não só a curto prazo, como também a longo prazo. Por Helena Cid.

No ser humano o que conta são os valores, o carácter, a integridade. E para tal basta que nos sejam dadas as mesmas oportunidades para provarmos a nossa competência, mas não nos abram portas só porque usamos saias! Por Esther Liska.

Agora que já sabe como definir objetivos utilizando uma linguagem que o cérebro reconhece e talvez até já tenha começado a elaborar os seus objetivos, gostaria de partilhar mais algumas dicas que poderão aumentar a eficácia de todo o processo. Por Sérgio Oliveira.

Esqueça os ciúmes, as traições, os filhos, as humilhações públicas e privadas e até mesmo a agressão física e psicológica. O fim dos relacionamentos tem um bode expiatório e o seu nome é dinheiro. Por Sofia Rijo.