ESPECIALISTAS

Fugir da dor emocional evita o sofrimento?

Refletir sobre momentos infelizes ajuda a ter consciência do que contribuiu para o que aconteceu e que precaução ter de futuro. Por Nuno Cristiano de Sousa.
O assunto de todos os dias

Os “dutchies” falam do tempo presente, da temperatura que vai estar amanhã, da previsão para os dias seguintes, comparam cada estação com a do ano anterior e, por fim, não deixam de dizer o quanto o mau tempo os deprime. Por Joana de Sousa Costa.
“Já não me aturo, não devo ser normal!”

Cada vez é mais claro para mim que sucesso sem auto conhecimento e desenvolvimento pessoal é pouco duradouro e até difícil de atingir. Existem cada vez mais formas de nos conhecermos. Por Sérgio Oliveira.
“Cenas” que me acontecem só a mim (ou então sou só eu que me queixo)

Pessoas que circulam à minha frente em ziguezagues enervam-me, deviam ser obrigadas a transportar na cabeça leds de mudança de direção. Por Sofia Rijo.
Foto: SandraGama/VisualHunt

Antes que o momento da verdade chegue e que o estrago esteja feito, deixo algumas dicas para tentar superar os excessos, ou melhor dizendo… para minimizar o estrago desta época. Por Lilian Barros.
Do que está a espera?

Quantas vezes já pensou nas oportunidades que deixou passar na sua vida tanto a nível pessoal como profissional por ter pensado que se calhar essa não era a melhor altura? Por Esther Liska.
Sim mas...

Comecemos por uma pequena palavra que é usada com muita frequência e que, eu diria, é infelizmente usada de forma errada, ou melhor, de forma a que não produz o resultado pretendido. Essa palavra é “mas”. Por Sérgio Oliveira.
Foto: Catedral de Reims

Esta é a palavra que marca a minha última semana, tal é o misto de emoções que me envolvem e confundem. Viajei dois dias em trabalho, para uma das cidades mais temidas dos últimos tempos, Paris. Por Sofia Rijo.
Os opostos atraem-se?

Discordo que o amor não se explique, as pessoas apaixonam-se por várias razões, embora possam não as perceber totalmente ao início. Por Nuno Cristiano de Sousa.
O terror do terrorismo

Tenho amigos muçulmanos. Tenho também amigos hindus, budistas, protestantes, católicos. E não me assusta a diferença. Antes, engrandece-me! Por Joana de Sousa Costa.