ESPECIALISTAS

Cientistas alegam ter criado um preservativo que aumenta o prazer sexual

E podemos amar tanta coisa, mas só quando se cede ao amor e nos libertamos da posse é que realmente conseguimos senti-lo na plenitude. Por Sofia Rijo.
A falência da massificação

Mais do que nunca, os consumidores não procuram comprar apenas produtos mas antes estórias, emoções, honestidade, sustentabilidade. Por Joana de Sousa Costa
As emoções não deviam ser coisas

Trocar carícias e fazer amor são ações cientificamente impossíveis de realizar com robôs, porque dependem de uma intenção, de um sentimento. Por Nuno Cristiano de Sousa.
Sonhar acordado

É frequente quando temos uma qualquer ideia maravilhosa sobre um projeto igualmente maravilhoso sermos assolados por uma voz na nossa cabeça que costuma ter um sem fim de opiniões que nos querem fazer crer que nunca atingiremos o nosso objetivo. Por Sérgio Oliveira.
Cursos de respeito para seres ignorantes

A mim só me compete questionar em que raio de mundo vivemos, e se em pleno século 21, numa noite em que aparentemente deveríamos celebrar a alegria de estarmos vivos, pode ser expectável e normal que centenas de mulheres tenham sido alvo de violência sexual. Por Sofia Rijo.
Mulheres portuguesas estão a fazer acontecer

Quantas vezes já pensou nas oportunidades que deixou passar na sua vida, tanto a nível pessoal como profissional, por ter pensado que provavelmente essa não era a melhor altura para avançar? Por Esther Liska.
Poder pessoal

Todos nós, uns mais que outros, temos sido programados para acreditarmos que somos insuficientes, que sozinhos não chegamos a lado nenhum. Por Sérgio Oliveira.
A mulher é como um cliente – tem sempre razão

Muita tinta tem corrido nos últimos dias, desde que foi divulgado, através dos media, que piropos de teor sexual poderão ser punidos judicialmente. Por Sofia Rijo.
De onde vem afinal a motivação? mulher

A vida tem limites, mas a determinação de fazer o melhor que se pode com aquilo que se tem, pode levar a lugares que pareciam inalcançáveis. O que falta em 2016? Nada! Só precisa dar o que já tem em si. Por Nuno Cristiano de Sousa
Falemos de listas de desejos

Com o avançar das badaladas e a boca cheia de uvas meias mastigadas, o cérebro parece não ser capaz de digerir tudo e os desejos caminham para ideias mais generalistas como “ter energia para fazer mais exercício físico”, “viajar mais” e “passar mais tempo de qualidade com as pessoas de quem gosto”. Por Joana de Sousa Costa.