ESPECIALISTAS

Psicofármacos e os jovens: Pensar para quê?

Um estudo europeu conduzido pelo European School Survey Project on Alcohol and Other Drugs refere que 13% dos jovens em idade escolar consomem psicofármacos sedativos e tranquilizantes com prescrição médica. Os resultados são preocupantes quer pela taxa de consumo, quer por ser decorrente de prescrição médica. Por Nuno Cristiano de Sousa.
Alimentos nutracêuticos: o antivírus do ser humano

Sendo o nosso corpo uma máquina complexa, ele precisa de adaptação e cuidados em cada estação, quer na forma como nos alimentamos, quer na forma como nos vestimos e socializamos. Por Paula Mouta.
Alimentação sem desperdícios

Nos dias de hoje, cerca de um terço dos alimentos produzidos são desperdiçados. Estes são dados da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura) e que nos sensibilizam. Por Mónica Venda.
Lanches saudáveis no regresso às aulas

Um lanche saudável durante o recreio ajuda a criança a aprender melhor, a assimilar as informações e a desenvolver a capacidade de interação pedagógica. Por Alexandre Fernandes.
Novo ano escolar, o dilema do costume. O que é que os meus filhos levam para o lanche?

É tão mais fácil incutir-lhes a responsabilidade da boa alimentação mesmo que eles não façam ideia do que isso é e confiar nas opções do bar das escolas. Por Magda Roma.
Potencie o seu sucesso com um Peer Group!

Os seus pares fornecem feedback, contribuem no brainstorm de ideias e ajudam a manter o foco na obtenção dos seus objetivos. Por Esther Liska.
O propósito da vida

É comum ouvirmos a expressão “passou ao lado de uma grande carreira”, quando se fala de pessoas ligadas ao desporto ou ao espetáculo. Por Sérgio Oliveira.
Identificar o vosso biótipo. A nossa silhueta é o formato do nosso corpo e esse mantém-se independentemente do peso ganho ou perdido. Conhecer o nosso corpo e o tipo de peças e silhuetas que mais o favorecem e que realçam os nossos pontos fortes faz toda a diferença na forma como parecemos e nos sentimos. Se há 20 kg havia peças que nos assentavam que nem uma luva, hoje em dia esse mesmo género pode realçar curvas que, não sendo erradas nem um dever de ser escondidas, podem não ser o nosso melhor atri-buto nem ficar espetacularmente bem naquelas peças específicas. Mas há sempre cortes e tecidos que fazem maravilhas pelo nosso tipo de corpo e caraterísticas específicas.

As mulheres, no geral, têm uma relação algo complicada com o seu corpo. É uma luta constante e que pode, para muitas, começar na adolescência e acabar… nunca! Por Ana Teresa Silvestre.
Ser mulher: ´Dançar é apenas um pretexto para amar’

Diz a ciência, em factos comprovados, que ao dançarmos o corpo liberta endorfinas de prazer e transforma a doença em saúde, a tristeza em alegria e as lágrimas em sorrisos. Por Paula Mouta.
Ansiedade: do normal ao patológico

Que se acabe o mito de que a forca de carater se revela por uma total imunidade ao insucesso e ao sofrimento! Por Nuno Cristiano de Sousa.