ESPECIALISTAS

Tipo de corpo pode indiciar distúrbio alimentar

Quando dormimos mal durante dias seguidos, meses, ou anos, acontece algo que se chama de “disrupção circadiana”. Por Teresa Manafaia.
Do que está a espera?

Já pensou de que maneira pode apresentar o seu visual para causar o impacto desejado? Por Esther Liska.
Tentar ou não tentar...eis a questão?

Uma das palavras que ouço com frequência no dia a dia é a palavra tentar. Ouvimo-la em toda a parte, na rua, nos cafés, na televisão, no desporto. E assim sendo está tudo bem. Ou não… Por Sérgio Oliveira.
Humana – o negócio da roupa usada

É caso para dizer que até para se ser solidário se tem de ter os olhos bem abertos. Por Sofia Rijo.
Um corpo sem dor e cheio de vitalidade

A saúde com vitalidade positiva não é apenas a ausência de doença, mas sim o resultado de diversas relações entre os sistemas orgânicos. Por Paula Mouta.
Eu sou...

O medo de falhar é um grilhão que impede que se viva de forma espontânea, e torna o pensamento castrador: “Até gostaria, mas no fim de contas talvez seja melhor não!”. Por Nuno Cristiano de Sousa.
E quando a descoberta do seu corpo se transforma num laboratório do prazer…

Não tenha medo, não sinta culpa, não é pecado, experimente o seu corpo e deixe-se impressionar pela capacidade que ele tem de lhe dar prazer. Por Cristina Mira santos.
O que é mais eficaz, ginásio ou dieta?

Chegaram ao fim as dietas cinzentas… agora comer bem está na moda e parece até ser divertido. Dizem-no os nutricionistas e confirmam as redes sociais, que se enchem diariamente de fotografias com ingredientes e pratos nutricionalmente aliciantes. Por Lilian Barros.
O seu corpo fala mais alto do que as suas palavras

Quando observar conscientemente o corpo e o rosto do seu interlocutor, bem como a dinâmica dos seus movimentos, conseguirá obter a informação necessária para saber como está em relação a si. Por Esther Liska.
Tipo de corpo pode indiciar distúrbio alimentar

Ao contrário do que lhe têm dito, comer não depende do seu estômago, mas sim do seu cérebro. Por Sérgio Oliveira.