Home»FOTOS»Castro Marim regressa à época medieval

Castro Marim regressa à época medieval

A vila raiana algarvia volta transformar-se numa terra encantada que mostra toda a multiplicidade e contradições que caracterizaram a Idade Média. Naquela que é uma das maires feiras medievais do país não faltam cavaleiros, torneios, mostra de artes e ofícios e, claro, mercados e gastronomia da época.

Pinterest Google+

Castro Marim regressa à Idade Média para a XXII edição dos Dias Medievais, evento já reconhecido pelo rigor da recriação histórica e, simultaneamente, pela inovação que procura trazer a cada ano. A festa decorre de 28 agosto 2019 a 01 setembro, com toda a vila a vestir-se a rigor. Veja imagens da edição anterior na galeria acima.

 

Durante cinco animados dias e cinco noites plenas de mistério, os ideais da cavalaria e os torneios, o imaginário lúdico da época, a animação de rua, a exibição de artes e ofícios, as trocas comerciais, os espetáculos teatrais e musicais e os banquetes, com uma variedade de iguarias, prometem uma viagem genuína e inesquecível à mágica Idade Média.

 

Com um recinto alargado, aquele que é um dos maiores eventos nacionais do género tem como palco principal o Castelo, o cenário mais leal à Idade Média, onde acontecem as principais recriações, como as de artes e ofícios, onde estão representadas mais de 45 profissões, e os grandes espetáculos, como os torneios medievais a cavalo.

 

VEJA TAMBÉM: FATACIL: DEZ DIAS DE ARTESANATO, TURISMO, AGRICULTURA E… MÚSICA

 

É também o Castelo, no Paiol, que acolhe a renovada exposição de Instrumentos de Tortura e Punição, mostrando-nos uma das razões pela qual a Idade Média é considerada como a Idade das Trevas. Nesta exposição são exibidas réplicas de alguns instrumentos utilizados na Idade Média, tais como, a Jaula Suspensa, a Roda, o Empalamento, a Forca ou o Garrote Espanhol, mostrando-nos uma das razões pela qual a Idade Média é considerada por muitos como a Idade das Trevas.

 

Outra dos grandes destaques dos Dias Medievais vai sempre para o Banquete Medieval, que, mediante reserva, dá a provar aos convivas as melhores iguarias da época, num espaço exclusivo, no chamado Castelo Velho, e por onde passam todos os grupos de animação do evento. À luz misteriosa das tochas e ao som da guitarra clássica, os convidados deleitam-se com uma ementa medieval onde não faltam deliciosas entradas, sopas aromatizadas, pratos da época e sobremesas irresistíveis, devidamente acompanhadas de vinho, cerveja preta e cidra.

 

A ceia era um dos momentos importantes para os nossos antepassados e da qual não abdicavam, podendo durar toda a noite. Eram momentos de descontração, em frente a uma mesa repleta de iguarias, onde a carne tinha um papel preponderante. Era ingerida carne de lebre, faisão, cabrito, porco e vaca, assim como a de algumas aves exclusivas da época.

 

VEJA TAMBÉM: VAI PARA O ALGARVE? VEJA O QUE A REGIÃO LHE RESERVA EM AGOSTO

 

Pelas ruas e ruelas de Castro Marim vamos encontrar a recriação da vida quotidiana do homem da Idade Média, com a representação de todas as classes que estruturavam a sociedade na época – clero, nobreza, burguesia e povo. Guerreiros, grupos de música e de dança, cavaleiros, malabaristas, zaragateiros, cuspidores de fogo, contadores de histórias, gaiteiros, equilibristas, espadachins e contorcionistas, entre muitos outros, colorem o resto do cenário medieval.

 

Nas mesmas ruas e ruelas encontramos todo o imaginário de uma época que carregava criaturas mitológicas, monstros, criaturas demoníacas e mágicas, que explicavam tudo o que era ainda vago e impreciso.

 

 

Durante os festejos medievais, são recriados no interior das muralhas as artes e ofícios existentes na Idade Média, sendo a maior parte destas recriações executadas por habilidosos artesãos do concelho. Demonstram-se, ao vivo, antigas profissões como o Ourives, Picheleiros, Tosadores, Cirieiros, Carpinteiros, Pedreiros, Oleiros, Telheiros, Barbeiros, Ferreiros, Ferrradores, Latoeiros, Sapateiros, Estalajadeiros, Almocreves, Fruteiras, Regateiras, Vendedeiras, Padeiras, Hortelãos e Pomareiros, Tanoeiros, Peleiros e Vendedores de sal.

 

VEJA TAMBÉM: TOMATE CORAÇÃO DE BOI É O REI DA FESTA EM AGOSTO

 

A conferir autenticidade à feira existem também espaços destinados à comercialização de produtos. Dentro do Castelo e nas ruas da vila, não faltam o sal, peixe fresco e seco, polvo, pão e frutos secos, produtos artesanais ou especiarias exóticas, à semelhança dos mercados dos séculos XIII e XIV.

 

Os Dias Medievais são uma organização da Câmara Municipal de Castro Marim com os apoios da Região de Turismo do Algarve, Direção Regional de Cultura do Algarve, Cafés Delta, Tavira Gran-Plaza, Ayuntamiento de Cortegana, Município de Guérande e Município de Blain. Veja algumas imagens na galeria no início do artigo e saiba mais neste link.

 

 

Artigo anterior

Portugal vai ter Observatório da Saúde dos Povos

Próximo artigo

Alimentos gordos que afinal são saudáveis