Home»FOTOS»Gosta de carne de órgãos? Conheça os seus benefícios

Gosta de carne de órgãos? Conheça os seus benefícios

Fígado, coração, rins... o consumo deste tipo de carne caiu um pouco em desuso, mas os nutricionistas recordam o quão nutritiva é, apresentando imensos benefícios para a saúde. Conheça-os.

Pinterest Google+
PUB

Nem todos os consumidores de carne são apreciadores deste petisco animal: os órgãos. O seu consumo tem caído em desuso e, na verdade, muitas pessoas não comem essas partes por acharem que é algo desconcertante.

 

Ainda assim, o site de nutricionistas ‘Authority Nutrition’ dedica-lhes toda a atenção ao recordar que os órgãos são extremamente nutritivos. A maior parte dos órgãos consumidos provêm de vacas, porcos, cabras, galinhas e patos. Atualmente, a maioria dos animais nasce e é criado com o intuito de terem tecidos musculares de qualidade. A carne de órgãos é muitas vezes ignorada, e consumida em hambúrgueres ou carne picada.

 

VEJA TAMBÉM: A IMPORTÂNCIA (VITAL) DAS BACTÉRIAS INTESTINAIS

 

Segundo esta equipa de nutricionistas, a carne de órgão está repleta de nutrientes, como vitamina B12 e folato, e é uma excelente fonte de ferro e proteína. Claro que o perfil nutricional da carne de órgão varia ligeiramente, dependendo da fonte animal e do tipo de órgão, mas a maioria dos órgãos encerra uma elevada concentração de nutrientes.

 

O fígado, o órgão da desintoxicação, é um dos tipos mais consumidos. Há ainda a língua, o coração, os rins e o cérebro, considerado uma iguaria em muitas culturas, sendo ainda uma fonte rica de ácidos gordos ómega-3.

 

VEJA TAMBÉM: NEOFOBIA: A REJEIÇÃO DE NOVOS SABORES

 

De acordo com esta plataforma, o consumo de carne de órgão apresenta inúmeros benefícios (tome conhecimento deles na galeria acima). No entanto, o consumo deste tipo de alimento deve ser controlado na dieta de uma grávida e de alguém que sofra de problemas de níveis elevados de ácido úrico no sangue.

Artigo anterior

ONU e Amnistia Internacional condenam prisão de 50 ativistas pró-democracia em Hong Kong

Próximo artigo

Decoração: oposição de estilos