Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»Capacidade empática dos humanos estende-se aos cães

Capacidade empática dos humanos estende-se aos cães

Este estudo explorou o modo como a empatia e outros fatores psicológicos afetam as avaliações das pessoas sobre imagens faciais de cães. Aprenda ainda a interpretar expressões caninas.

Pinterest Google+

As pessoas empáticas interpretam mais intensamente as expressões faciais dos cães de acordo com um estudo da Universidade de Helsínquia e da Universidade Aalto, Finlândia.

 

Os resultados do estudo mostram pela primeira vez que a empatia humana, ou a capacidade de entender os sentimentos ou experiências de outra pessoa, também afeta a perceção das expressões faciais dos cães de estimação. «A empatia afetou as avaliações das expressões faciais dos cães, provavelmente porque o rosto é um estímulo biologicamente importante para os seres humanos», explica a investigadora Miiamaaria Kujala.

 

Veja também: Primeira tour para cães do mundo abre em Londres

 

Com base nos resultados anteriores, os investigadores sabiam que as pessoas com maior empatia emocional avaliavam as expressões de outras pessoas com maior rapidez, precisão, frequência e também com maior intensidade. No entanto, Kujala observa que é possível que interpretem desta forma também as expressões dos cães. «A empatia acelera e intensifica a avaliação das expressões faciais dos cães, mas definir a precisão de tais avaliações é atualmente pouco confiável», afirma.

 

A comunicação baseada em expressões faciais tem sido estudada em mamíferos sociais há décadas. Darwin já era capaz de perceber semelhanças nas expressões dos mamíferos, mas só nos dias de hoje os investigadores começaram a perceber semelhanças em expressões emocionais de diferentes espécies.

 

Veja também: Gatos são tão inteligentes como os cães, diz estudo 

 

O presente estudo conseguiu demonstrar que os cães reconhecem claramente as expressões ameaçadoras dos seres humanos e de outros cães. Também as pessoas conseguem identificar bem expressões caninas ameaçadoras, e consideram-nas até mais intensas do que as suas semelhantes em humanos. Porém, opostamente, as pessoas identificam mais facilmente expressões felizes em humanos do que em cães, o que se pode dever à tendência de considerar os rostos da própria espécie geralmente mais agradáveis.

 

Veja agora a galeria cima e aprenda a interpretar algumas expressões caninas.

 

 

 

Artigo anterior

Universidade de Aveiro cria solução para conservar vinagre com cascas de camarão

Próximo artigo

Novo museu em Bruxelas mostra 133 trajes de Manneken Pis