Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Cancro Colorretal: Campanha deteta 5% de pessoas com sangue oculto nas fezes

Cancro Colorretal: Campanha deteta 5% de pessoas com sangue oculto nas fezes

Mais de 4 mil pessoas participaram na Campanha de Sensibilização para o Cancro Colorretal promovida em 292 farmácias. A idade média dos participantes rondou os 61 anos.

Pinterest Google+
PUB

A Campanha de Sensibilização para o Cancro Colorretal, que ocorreu entre os dias 15 de março e 14 de abril, permitiu identificar 177 pessoas com sangue oculto nas fezes, tendo sido indicadas para acompanhamento médico. Os resultados revelam que, entre os 4.190 participantes, 95,8% testaram negativo para a pesquisa de sangue oculto nas fezes (PSOF).

 

Sensibilizar para a deteção precoce do Cancro Colorretal (CCR), um dos cancros com maior incidência no país e também um dos mais mortais, foi um dos principais objetivos da Campanha dirigida a pessoas dos 50 aos 74 anos e assintomáticos, bem como, consciencializar a população para os sinais e sintomas, fatores de risco e importância do diagnóstico precoce.

 

A iniciativa, apoiada pela Fundação Ageas, Médis, Farmácias Portuguesas, Fundação Millennium bcp, Fundação Calouste Gulbenkian, Europacolon Portugal, Alliance Healthcare e pelo Laboratório Germano de Sousa, decorreu em 292 farmácias aderentes, com a participação de 4190 pessoas.

 

VEJA TAMBÉM: LANÇADO PORTAL DE APOIO A CUIDADORES INFORMAIS DE DOENTES COM CANCRO COLORRETAL

 

A idade média dos participantes rondou os 61 anos, sendo que cerca de metade dos participantes (48,1%) tinham idades compreendidas entre os 50 e os 59 anos. A participação de mulheres foi mais significativa (57% mulheres vs. 43% homens), mas, em comparação com campanhas anteriores, a participação masculina aumentou significativamente.

 

Resultados da campanha

No que diz respeito aos resultados, os testes positivos fixaram-se nos 4,2% (177 pessoas), tendo-se observado uma maior prevalência de resultados positivos nos homens face às mulheres (56,5% homens vs. 43,5% mulheres).

 

Aos utentes com resultados positivos, foi recomendado consulta médica para análise da situação e definição de próximos passos, nomeadamente a realização de colonoscopia, de acordo com as normas nacionais.

Viseu encontra-se entre os distritos com maior número resultados positivos (14%), seguido de Bragança e Beja (ambos com 12%). Já o distrito de Lisboa contou com o maior número de participantes (2.036), seguido do Porto (436), Setúbal (267), Coimbra (210) e Castelo Branco (197).

 

O diagnóstico precoce e a promoção da literacia são fundamentais para a redução da mortalidade, da morbilidade e dos custos em saúde, nomeadamente em contexto de pandemia em que houve atrasos nos diagnósticos e limitações no acesso aos cuidados de saúde.

 

As farmácias têm um papel importante no diagnóstico precoce e na literacia em saúde como ficou demonstrado em contexto pandémico com as limitações de acesso aos cuidados primários de saúde. Saiba mais no site da iniciativa.

 

 

Artigo anterior

Conferência debate presença de sensores moleculares em toda a cadeia de valor do alimento

Próximo artigo

Novos casamentos: no Pinterest e no Instagram até que a morte nos separe!