Home»GLAMOUR»BELEZA»Campanha mundial quer proibir testes de produtos de cosmética em animais

Campanha mundial quer proibir testes de produtos de cosmética em animais

A campanha «mais ambiciosa de sempre» espera alcançar oito milhões de assinaturas em todo o mundo e 40 mil em Portugal. Arranca hoje com o objetivo de apresentar, no final, uma convenção na Organização das Nações Unidas.

Pinterest Google+
PUB

Arranca hoje aquela que pretende ser a campanha mais ambiciosa de sempre contra testes em animais de ingredientes e produtos de cosmética. Promovida pela marca The Body Shop e pela organização Cruelty Free International, a campanha visa, até 2020, revolucionar a indústria da beleza e proteger assim milhões de animais em todo o mundo.

 

A nova campanha, intitulada ‘Forever Against Animal Testing (FAAT)’ (para sempre contra testes em animais), pede a proibição dos testes de ingredientes e produtos de cosmética em animais, em todo o mundo e para sempre, através de uma Convenção a apresentar nas Nações Unidas. É a campanha contra testes em animais em cosméticos mais ambiciosa de sempre, segundo divulgam em comunicado, onde se espera alcançar oito milhões de assinaturas em todo o mundo. Para Portugal o objetivo traçado foi o de reunir pelo menos 40.000 assinaturas.

 

Veja também: Trate da sua pele com leite de burra… uma empresa portuguesa diz que não há melhor

 

Michelle Thew, CEO da Cruelty Free International considera que «as pessoas estão confusas sobre os testes em animais. Por todo o mundo existem pessoas que querem acabar com esta prática, mas as leis existentes são muito diferentes umas das outras e contêm grandes lacunas. Embora haja cada vez mais países a requerer testes de segurança não-animais e muitos já tenham tomado algumas medidas para acabar de vez com os testes de cosméticos em animais, há ainda muito trabalho por fazer e um longo caminho a percorrer. A maioria dos países onde os testes em animais são permitidos – tanto em produtos como em ingredientes – não exige que a informação sobre os testes seja tornada pública ou esteja disponível para os reguladores. Assim, torna-se muito difícil saber a dimensão dos testes em animais. 80% dos países em todo o mundo ainda permite os testes de cosméticos em animais. A única forma de eliminar o sofrimento dos animais é uma proibição a nível mundial».

 

A petição pode ser assinada online a partir de dia 1 de junho ou em qualquer uma das 3.000 lojas The Body Shop espalhadas pelo mundo, não sendo necessário efetuar nenhuma compra para assinar esta petição. A marca está também a incentivar os seus consumidores a utilizar a hashtag da campanha, #ForeverAgainstAnimalTesting nas redes sociais, chamando assim à atenção para esta realidade e terá, em Portugal, o apoio das embaixadoras da marca, a atriz Catarina Gouveia e a blogger Vanessa Martins.

 

Veja também: Tratamentos caseiros para a acne

 

«A The Body Shop defende que nenhum animal deve ser maltratado em nome da beleza e cosmética e que os testes em animais são cruéis e desnecessários. A nossa associação à Cruelty Free International visa organizar a maior e mais ambiciosa campanha de sempre com vista a alcançar uma proibição a nível mundial dos testes em animais de produtos e ingredientes de cosmética. Espera-se que com esta campanha ponhamos um ponto final no que começámos em 1980. Estamos a apelar a pelo menos 8 milhões de pessoas nos quatro cantos do mundo que se preocupam com o bem-estar dos animais para se juntarem à nossa causa e assinar a petição. Vamos levar esta petição às Nações Unidas para ser criada uma lei universal que proíba os testes em animais de produtos e ingredientes de cosmética. Com a entrada em vigor de uma lei internacional, os consumidores podem ter finalmente a certeza que todos os produtos de cosmética que compram são cruelty-free e livres de testes em animais», declara Jessie Macneil-Brown, gestora ed campanhas internacionais da The Body Shop.

 

Veja também: Argila: saúde e beleza através dos oligoelementos naturais

 
A The Body Shop foi a primeira empresa de beleza a fazer uma campanha contra a prática de testar cosméticos em animais (em 1989), que culminou com a proibição dos testes em animais em 2013 imposta pela União Europeia. A campanha, conduzida em parceria com a organização mundial Cruelty Free International, recolheu 1 milhão de assinaturas e foi grande impulsionadora de progressos muito significativos na região da Ásia.

 

A Cruelty Free International é uma organização cujo um dos seus principais objetivos é a criação de um planeta onde não seja necessário fazer experiências em animais, proibindo mundialmente os testes de cosméticos.

 

Artigo anterior

Reincidência de cancro do cólon reduzida para metade em pacientes que comem frutos secos

Próximo artigo

The Beer Promenad: chegou o primeiro festival de cerveja artesanal de Cascais