Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Calor em segurança? Saiba como se proteger

Calor em segurança? Saiba como se proteger

O verão chegou e com ele chegaram os dias quentes no nosso país. Com a elevação da temperatura, é necessário adequarmos os nossos comportamentos de forma a evitar consequências negativas para a saúde.

Pinterest Google+
PUB

A exposição prolongada ao calor intenso constitui uma agressão para o organismo, podendo levar a desidratação, cãibras ou agravamento de doenças crónicas, como a doença cardiovascular ou renal. No limite, o calor pode até provocar uma situação muito grave (o “golpe de calor”), que pode provocar danos irreversíveis ou, inclusivamente, levar à morte.

 

Algumas pessoas são mais vulneráveis aos efeitos do calor intenso exigindo um especial cuidado e proteção nos dias mais quentes, nomeadamente:

– Crianças, particularmente nos primeiros anos de vida;

– Pessoas com 65 ou mais anos;

– Pessoas com doenças crónicas (nomeadamente doenças cardiovasculares, respiratórias, renais, diabetes, alcoolismo) ou pessoas acamadas;

– Pessoas que desenvolvem atividade no exterior, expostos ao sol e/ou ao calor;

– Praticantes de atividade física;

– Pessoas isoladas e em carência económica e social.

 

VEJA TAMBÉM: EVITAR ACIDENTES COM CRIANÇAS: MISSÃO (QUASE) IMPOSSÍVEL

 

Para evitar os efeitos nefastos para a saúde da exposição ao calor, há várias estratégias que devemos adotar:

  1. Aumentar a ingestão de líquidos, preferencialmente água ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar. Devemos beber regularmente, mesmo sem sentir sede. Note que os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes podem não sentir, pelo que são particularmente vulneráveis – ofereça-lhes água e esteja atento a sinais de desidratação.
  2. Evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevado teor de açúcar.
  3. Fazer refeições leves e mais frequentes. Nos dias quentes devemos evitar as refeições “pesadas” e muito condimentadas.
  4. Permanecer num ambiente fresco, ou com ar condicionado, particularmente no caso de crianças, pessoas idosas ou pessoas com doenças crónicas. Para evitar que o calor entre dentro da habitação, correr as persianas ou portadas e manter o ar circulante dentro de casa, sobretudo ao entardecer, quando a temperatura no exterior for inferior àquela que se verifica no interior do edifício. Se não for possível manter a casa fresca, pode procurar locais públicos com ar condicionado nas horas de maior calor (visite cinemas, museus ou outros locais de ambiente fresco). Tenha cuidado para evitar as mudanças bruscas de temperatura.
  1. No período de maior calor tomar um duche de água tépida ou fria. Evitar, no entanto, mudanças bruscas de temperatura (um duche gelado, imediatamente depois de se ter apanhado muito calor, pode causar hipotermia, principalmente em pessoas idosas ou em crianças).
  2. Evitar a exposição direta ao sol, em especial entre as 11 e as 17 horas. Sempre que se expuser ao sol, ou andar ao ar livre, use um protetor solar com um índice de proteção igual ou superior a 30 e renove a sua aplicação de 2 em 2 horas e sempre que estiver molhado/muito suado. No regresso da praia ou piscina volte a aplicar protetor solar, principalmente nas horas de calor intenso e radiação ultravioleta elevada.
  3. Ao andar ao ar livre, usar roupas que evitem a exposição direta da pele ao sol, particularmente nas horas de maior incidência solar. Escolha roupas claras, largas e tecidos leves e frescos, que cubram as pernas e braços nestas ocasiões. Use chapéu, de preferência de abas largas, e óculos com lentes com proteção contra a radiação UVA e UVB.
  4. Usar menos roupa na cama, não esquecendo este cuidado no caso de bebés e doentes acamados.
  5. Evitar a permanência em viaturas expostas ao sol, principalmente nos períodos de maior calor. Atenção às filas de trânsito e parques de estacionamento. Se o carro não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas. Leve água suficiente para a viagem e pare para os beber. Sempre que possível viaje de noite.
  6. Sempre que possível, diminuir os esforços físicos e repousar frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados. Evitar atividades que exijam muito esforço físico em locais que não estejam frescos, nas horas de maior calor.

 

Não hesitar em pedir ajuda a um familiar ou a um vizinho no caso de se sentir mal com o calor. Além de cuidar de si, esteja atento aos que o rodeiam. Tenha atenção particular com as crianças. Informe-se regularmente sobre o estado de saúde das pessoas mais vulneráveis à sua volta: pessoas isoladas, idosas, frágeis ou com dependência. Ajude-as a protegerem-se do calor.

 

Se detetar situações de risco, peça ajuda aos serviços de saúde ou proteção civil. Não se deixe lesar pelo calor, aposte na prevenção!

 

Artigo anterior

Marketing: combinações improváveis ou campanhas geniais

Próximo artigo

Instinto ou cultural? O beijo vale mais do que mil palavras