Home»FOTOS»Caldeiradas em destaque no Gastronomia de Bordo da Murtosa

Caldeiradas em destaque no Gastronomia de Bordo da Murtosa

A caldeirada de enguias é a mais emblemática da Murtosa e está em destaque de 27 de novembro a 1 de dezembro em dez restaurantes aderentes. A iniciativa exalta os sabores e os saberes que têm a sua génese nos pratos preparados pelos pescadores da região desde tempos imemoriais.

Pinterest Google+

Depois de Peniche e de Ílhavo, é a vez de a Murtosa receber, de 27 de novembro a 1 de dezembro, a segunda edição Festival Gastronomia de Bordo, uma iniciativa que exalta os sabores e os saberes que têm a sua génese nos pratos preparados, desde tempos imemoriais, pelos pescadores e que se tornaram ícones gastronómicos.

 

A génese das caldeiradas murtoseiras – sendo a de enguias a mais emblemática – está precisamente nos pescadores da Ria de Aveiro e nos seus peculiares hábitos de pesca, que atestam bem a dureza do trabalho de outrora.

 

A pesca lagunar do chinchorro, em particular na freguesia da Torreira, tinha a singularidade de se desenvolver em jornadas de 24 horas consecutivas, com lanços sucessivos de dia e de noite. A dura safra era entrecortada pelas pausas para as refeições, sempre em função da maré.

 

VEJA TAMBÉM: PATRÍCIA BORGES: «EXISTEM MUITOS MITOS QUANTO AO PESCADO DE AQUACULTURA»

 

O jantar consistia, as mais das vezes, de uma caldeirada simples, cozinhada na borda de água, pelos próprios pescadores, com peixes resultantes da safra, normalmente aqueles com menor valor económico, acompanhados de batatas, obtidas, junto dos lavradores, por troca de algum do pescado. Veja imagens na galeria acima.

 

Cada elemento comia, impreterivelmente, o peixe e as batatas que estavam do seu lado da bacia. Caso verificasse alguma “injustiça” no quinhão de cada um, o arrais, com o seu pau de bico, procedia à redistribuição da comida na bacia.

 

Os 10 restaurantes aderentes à iniciativa prepararam menus específicos para a festival, tendo como referencial os pratos de peixe e, de um modo especial, as caldeiradas. Paralelamente o município, propõe algumas atividades complementares às degustações nos restaurantes, que visam dar a conhecer o património gastronómico, cultural e social da Murtosa.

 

VEJA TAMBÉM: DGS LANÇA MANUAL COM RECEITAS À BASE DE CONSERVAS DE PESCADO

 

Assim, no dia 27 de novembro pelas 17H00, está marcada a abertura oficial do festival, com uma cerimónia na COMUR-Museu Municipal da Murtosa. A iniciativa será antecedida de um workshop, coordenado pela chef Patrícia Borges, especialmente dedicado aos agentes locais de restauração.

 

No sábado, dia 30 de novembro, pelas 10h00, terá lugar uma visita guiada “Rota do Mar & Ria”, que se iniciará na Praça Jaime Afreixo em Pardelhas e passará pelo Cais do Bico e pela COMUR-Museu Municipal.

 

VEJA TAMBÉM: O QUE NÃO PODE PERDER EM AVEIRO

 

No domingo dia 1 de novembro, a tarde começa, pelas 15h com a “Rota da Enguia”, o ponto de encontro é no Cais do Bico e percorrerá a beira-ria, terminando na “Ti Alcina”, na Béstida, com um workshop de confeção de caldeirada de enguias. A participação nestas visitas é gratuita, mas carece de inscrição prévia através do e-mail gap@cm-murtosa.pt.

 

O Festival Gastronomia de Bordo insere-se no projeto de programação cultural em rede “Territórios com História: o Mar, as Pescas e as Comunidades”, que une os Municípios da Murtosa, Ílhavo e Peniche na dinamização de dezenas de atividades de valorização e divulgação do património cultural marítimo associado a cada um destes territórios, como forma de favorecer o incremento do turismo cultural e o aumento da competitividade local e regional.

 

Restaurantes aderentes:

» A Varina

» Avenida-Praia

» Bastos

» Braseiro do Mar

» Búzios-Pousada da Ria

» Casa Silva

» O Veleiro

» Xávega-Mar

» O Bico

» Feira dos Cinco

 

Artigo anterior

Acabar com os chumbos até ao 9º ano? Primeiro estranha-se, depois entranha-se

Próximo artigo

Teresa Branco: «Emagrecer depois dos 40 anos é mais difícil e requer uma ação multidisciplinar»