Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Cabo Espichel procura novo inquilino para os próximos 50 anos

Cabo Espichel procura novo inquilino para os próximos 50 anos

Concurso público visa recuperar e preservar a história do santuário. O objetivo é requalificar o espaço como estabelecimento hoteleiro para fins turísticos. Concurso está aberto até 20 de julho.

Pinterest Google+
PUB

Foi publicada, em Diário da República, a abertura do novo concurso público relativo ao Santuário de N.ª Senhora do Cabo Espichel, em Sesimbra, para a concessão de exploração por um período de 50 anos.

 

O concurso, lançado no âmbito do programa Revive, tem em vista a realização de obras, incluindo de infraestruturas, e posterior exploração para fins turísticos como um estabelecimento hoteleiro, estabelecimento de alojamento local na modalidade de estabelecimento de hospedagem, ou outro projeto com vocação turística, nos termos da legislação em vigor.

 

VEJA TAMBÉM: SESIMBRA, UM PARAÍSO PLANTADO ENTRE A SERRA E O MAR

 

O Santuário do Cabo Espichel, inserido no parque natural da Arrábida, também conhecido como Santuário de Nossa Senhora da Pedra Mua, situa-se no Cabo Espichel, e reza a lenda que ocorreu, no local, uma aparição de Nossa Senhora. Do primitivo santuário referido pelas Visitações da Ordem de Santiago nada resta nos dias de hoje.

 

Culto a Nossa Senhora do Cabo

A partir do culto a Nossa Senhora do Cabo e da quatrocentista Ermida da Memória, no século XVIII, D. Pedro II e D. José mandaram edificar um santuário que perdurou afeto ao culto até à transição para o século XX, entrando depois em declínio.

 

O Santuário congrega a igreja construída entre 1701-1707, em estilo chão, com duas alas de hospedarias edificadas entre 1745-1760, a casa da água datada de 1770 e abastecida por um aqueduto e a casa da ópera, de finais de oitocentos.

 

As duas fiadas de habitações para os romeiros criam duas linhas que conduzem à igreja, acentuando a cenografia do templo, ao mesmo tempo que realçam um jogo de vãos, de cheios e vazios e de claro-escuro através da arcaria e janelas do andar superior.

O imóvel está classificado de interesse público desde 1950, beneficiando, ainda, de uma Zona Especial de Proteção. A concessão compreende o bem imóvel pertencente ao domínio privado do município de Sesimbra (ala norte) e parte do bem imóvel propriedade da Confraria de Nossa Senhora do Cabo (ala sul).

 

Área total de construção é de 5.937m².  A duração da concessão é de 50 anos e a renda mínima anual está estipulada em € 15.276,00 (quinze mil, duzentos e setenta e seis euros).

 

Veja imagens na galeria no início do artigo.

Artigo anterior

Os benefícios da massagem modeladora para a redução de volume

Próximo artigo

Há sal para todos os gostos, mas qual o melhor?