Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Boom Festival leva 154 nacionalidades a Idanha-a-Nova

Boom Festival leva 154 nacionalidades a Idanha-a-Nova

A 11ª edição vai decorrer entre 11 e 18 de agosto e promete mostrar muitas correntes artísticas e alternativas. É já considerado como um dos melhores festivais transformacionais do mundo.

Pinterest Google+

O Boom Festival está de volta aos cerca de 150 hectares da Herdade da Granja, em Idanha-a-Nova, entre 11 e 18 de agosto.

 

A 11ª edição do evento que, de dois em dois anos, transforma a margem direita da Albufeira de Idanha no paraíso na terra, conta este ano com boomers de 154 nacionalidades – mais que em 2014 –, recebendo como país convidado o Japão, para o qual foram disponibilizados 500 ingressos gratuitamente. Os franceses são os que estarão em maior número.

 

O evento bienal de cultura independente que, desde 1997, se realiza em agosto é uma referência internacional. Multidisciplinar, transgeracional e intercultural, o Boom foi considerado em abril deste ano pelo jornal britânico ‘The Guardian’ um dos 10 melhores festivais deste ano na Europa e pela norte-americana ‘Rolling Stone’ como um dos sete mais espetaculares acontecimentos transformacionais do mundo. O festival português surge associado a eventos internacionais como “Burning Man” (Nevada, EUA), “Beloved” (Oregon, EUA) ou “Secret Solstice” (Islândia).

 

Veja a galeria: Glamping é a nova tendência de alojamento

 

O Boom Festival cruza diversas correntes artísticas – pintura, escultura, land art, instalações interativas, música, videoarte ou artes plásticas – complementadas por um vasto cartaz de conferências, workshops, tertúlias e apresentações ligados a temas alternativos.

 

“Shamanism” é o tema do Boom Festival 2016 que, entre outras novidades, este ano, decidiu limitar ainda mais o número de bilhetes com o intuito de manter o sentido de familiaridade e conforto. Assim, a organização alerta: «Os bilhetes online estão esgotados e não existem mais disponíveis. Para evitar esquemas e mercado negro de bilhetes, todos os ingressos são pessoais e eletrónicos» e o acesso ao festival «requer um documento de identificação oficial com foto ou passaporte para confirmação de identidade com os dados do bilhete».

 

São várias as novidades nesta 11ª edição, mas todas visam incrementar as condições de conforto e de familiaridade do festival, bem como as medidas “verdes”, pelas quais o Boom Festival tem vindo a ser sucessivamente premiado.

 

Veja a galeria: Razões para viajar sozinha

 

Além da melhoria de condições na área de restaurantes, WC e chuveiros, esta edição contará com uma nova área de restaurantes e lounge para campistas e caravanistas. Uma nova zona dedicada Organizações Não Governamentais, e ainda, um novo espaço dedicado a dança, onde diariamente haverá sessões e shows. Também os pequenos boomers, com idades entre 3 e 12 anos, contarão com uma nova área.

 

A organização conta com cerca de 190 autocarros que vão fazer o transporte de pessoas entre os aeroportos de Lisboa e de Madrid e Idanha-a-Nova e haverá também autocarros a fazer a ligação a partir de França (Paris), Suíça (Genebra) e Holanda (Amesterdão).

 

Artigo anterior

Ver mais além

Próximo artigo

Uma tatuagem, uma história