Home»VIDA»SOCIEDADE»Bicicletas elétricas conquistam cada vez mais utilizadores

Bicicletas elétricas conquistam cada vez mais utilizadores

Quase metade dos ciclistas atuais demonstram vontade em experimentar uma e-bike e cerca de um terço de potenciais utilizadores indicam igualmente esse desejo. Um estudo da consultora Mintel diz que estamos ano início de uma revolução na mobilidade urbana. Saiba mais neste Dia Europeu sem Carros, assinalado a 22 de setembro.

Pinterest Google+

Seja por uma maior consciência ambiental, seja por ser uma solução prática de mobilidade, seja por ajudar a manter a condição física, ou por não necessitar de licença de condução, as bicicletas elétricas estão a conquistar cada vez mais utilizadores, segundo um estudo realizado pela consultora Mintel.

 

O estudo, realizado em abril no Reino Unido, salienta que se está a viver o início de uma revolução de e-bikes, uma vez que, em 2018, foram vendidas neste território 70 mil bicicletas elétricas. Estes valores indicam um aumento de 8% nas vendas de bicicletas elétricas em volume, enquanto as vendas em valor subiram 15%. Apesar de apenas 6% dos ciclistas atualmente possuírem uma bicicleta elétrica, a situação vai mudar, com 14% dos ciclistas a pretenderem comprar uma nos próximos 12 meses, um aumento de 11% em relação a 2017.

 

VEJA TAMBÉM: CONHEÇA AS VANTAGENS DE PEDALAR

 

No geral, indica a consultora, 45% dos ciclistas atuais dizem que gostariam de testar uma bicicleta elétrica, enquanto 32% dos ‘ciclistas em potencial’ também estão interessados ​​em experimentar uma.

 

«As e-bikes ainda estão no estágio de ‘early adopter’, e os clientes mais propensos são homens tecnófilos com menos de 45 anos. O desafio e a oportunidade para as marcas de bicicletas e lojistas é comercializarem a bicicleta elétrica como algo menos tecnológico e mais convencional. A e-bike poderia ser o catalisador para a abertura do ciclismo como um todo numa atividade de participação em massa, dissociando-se da imagem de ciclistas vestidos de licra», explica John Worthington, analista sénior da Mintel.

 

VEJA TAMBÉM: PÁSCOA: FÉRIAS A PEDALAR NA EUROPA

 

O estudo indica ainda que os ciclistas do sexo masculino estão quatro vezes (8%) mais propensos do que os ciclistas do sexo feminino (2%) a possuir uma bicicleta elétrica. Entre os ciclistas do sexo masculino com idades entre os 25 e 44 anos, a posse de bicicletas elétricas atingiu percentuais de dois dígitos (11%).

 

«Enquanto que alguns podem ficar felizes em alugar, outros, sem dúvida, desejam adquirir os seus próprios modelos. É provável que muitos clientes possam adiar a compra de uma bicicleta elétrica, esperando para ver se os preços caem. A atual incerteza económica também pode levar os compradores a adiar a compra. Enquanto as gerações mais jovens são muito mais sensíveis a essas pressões económicas, as pessoas com mais de 40 anos são mais propensas a gastar numa e-bike», comenta o analista.

Artigo anterior

Teleféricos: uma viagem pelas alturas em Portugal

Próximo artigo

Pequenas porções levam pessoas a comer mais vegetais