Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Bebés tiram conclusões sociais consoante a alimentação dos outros

Bebés tiram conclusões sociais consoante a alimentação dos outros

O estudo ressalta o quão bem as escolhas alimentares estão interligadas com o pensamento social do individuo. E tudo começa bem cedo.

Pinterest Google+

Os bebés prestam muita atenção aos alimentos que estão a ser comidos em seu redor e, especialmente, a quem está a comê-los, de acordo com um estudo publicado na revista ‘Proceedings’, da Academia Nacional de Ciências americana.

 

Os autores descobriram que as crianças de 1 ano têm a ideia de que as pessoas gostam todas dos mesmos alimentos, a menos que essas pessoas pertençam a diferentes grupos sociais ou culturais, tais como aqueles que falam uma língua diferente.

 

Veja a galeria: O poder das sementes

 

Desde cedo, as crianças tornam-se sensíveis a diferentes grupos culturais. «Quando os bebés veem alguém comer, eles não estão apenas a aprender sobre comida, eles estão a aprender sobre quem come o quê e com quem. A capacidade de pensar sobre as pessoas como sendo ‘diferentes’ e, até mesmo, ‘nós contra eles’ começa muito cedo», elucida a coautora do estudo, Katherine Kinzlerl, num comunicado à imprensa.

 

Os investigadores configuraram uma série de estudos em que mostraram a mais de 200 crianças de um ano uma série de vídeos de pessoas que expressaram gostar ou não gostar de determinado alimento.

 

Quando os bebés viram duas pessoas no vídeo que falavam a mesma língua ou agiam como se fossem amigos, as crianças esperavam que estes gostassem dos mesmos alimentos. Quando observavam duas pessoas que falavam línguas diferentes ou agiam de um modo que lhes parecia hostil, os bebés tinham a expetativa de que gostassem de alimentos diferentes.

 

Veja a galeria: Benefícios dos probióticos

 

O estudo também mostrou que estes seres pequeninos têm uma visão um pouco diferente quando se trata de alimentos que podem prejudicá-los. Quando os bebés veem uma pessoa a reagir com repulsa ao comer determinado alimento, eles pensam que uma segunda pessoa também não vai gostar desse alimento, mesmo que seja de um grupo social diferente.

 

As crianças são particularmente vigilantes quanto à informação social que pode sinalizar perigo, são autenticas esponjas de informação. Como tal, e como recomenda a coautora do estudo, os pais devem ter em atenção ao que comem em família. Pois, mesmo que alimentem a criança com uma dieta saudável, se comerem fast-food todos os dias, por exemplo, é retirada, pelo bebé, dessa experiência social, uma ideia que pode não corresponder à verdade.

Artigo anterior

O preconceito aplicado ao movimento

Próximo artigo

Aditivos alimentares: para que servem