Home»VIDA»CASA & FAMÍLIA»BabyLoop: já é possível comprar na loja da Carolina Patrocínio

BabyLoop: já é possível comprar na loja da Carolina Patrocínio

Plataforma que permite comprar produtos de puericultura em segunda mão e alcançar poupanças até 80% abriu agora a loja online.

Pinterest Google+
PUB

Depois do lançamento da plataforma BabyLoop, em janeiro, que permitia colocar equipamentos de puericultura à venda, o projeto de economia circular da Carolina Patrocínio está, a partir de agora, também disponível para a compra destes produtos em segunda mão. Num ciclo de compra e venda, as famílias podem poupar até 80% do valor dos equipamentos.

 

Mãe de três meninas e ciente dos desafios por que passam os pais portugueses, Carolina Patrocínio lançou a BabyLoop para dar uma nova vida aos equipamentos de puericultura pesada, como berços, trios, cadeiras de papa, entre outros, tantas vezes esquecidos numa divisão de casa sem nenhum uso. Durante apenas um mês de atividade, a plataforma recebeu mais de dois mil submissões de produtos para venda e cerca de seis mil intenções de compra. Os utilizadores puderam indicar no website o que pretendiam comprar beneficiando de descontos até 50% que poderão agora utilizar ao efetivar a operação.

 

VEJA TAMBÉM: COMO CRIAR O QUARTO PERFEITO PARA O BEBÉ

 

«Quisemos ter um bom stock de produtos disponíveis antes de abrirmos a loja e um tempo para perceber quais eram as necessidades de compra e venda dos portugueses. Neste mês, e nas mais de 50 mil visitas que tivemos no site, conseguimos avaliar mais de dois mil produtos para venda e perceber que as intenções de compra estão totalmente alinhadas com a oferta, pelo que era a hora certa para abrir a loja», nota a fundadora do projeto.

 

A BabyLoop permite aos pais a compra e venda de equipamentos de três categorias – auto, passeio e casa –, de grandes marcas e com garantia de qualidade. Os produtos para venda são minuciosamente inspecionados e desinfetados, garantindo segurança máxima para os seus novos utilizadores.

 

O diretor-executivo do projeto, Ricardo Morgado, explica o processo: «Quem quer vender só tem de nos enviar uma fotografia do equipamento. Nós avaliamos e, num espaço de 12 horas, dizemos qual o seu valor. Se o vendedor aceitar, depois, só tem de deixar o equipamento num ponto de recolha nas lojas Continente ou pedir a recolha ao domicílio. A partir daí, o equipamento fica nas nossas mãos, analisamos a qualidade e o estado, esterilizamos e fotografamos com um profissional. É a curadoria que fazemos que nos distingue de outras plataformas e que dá garantia de que as crianças vão receber um equipamento como novo e parece-nos que as pessoas já perceberam isso, porque têm demonstrado um interesse enorme em comprar connosco. Neste momento, podemos dizer que a procura é superior à oferta e isso demonstra que confiam no projeto. Por outro lado, é uma grande oportunidade para quem quer vender».

 

VEJA TAMBÉM: FAMÍLIAS QUE BRINCAM SÃO MAIS FELIZES: CONHEÇA 10 PRINCÍPIOS PARA INCENTIVAR A BRINCADEIRA

 

Outra das vantagens que traz a plataforma é a poupança, que pode chegar até 80% num ciclo total de compra e venda de um equipamento. Por exemplo, num carrinho de passeio de gama média que custe 400 euros as famílias conseguirão poupar cerca de 320 euros se o comprarem na BabyLoop e, depois, quando já não lhe derem uso, voltarem a vendê-lo na plataforma. Após as vendas, o valor pode ser resgatado para a conta bancária ou para o Cartão Continente, com vantagens associadas.

 

Continente e MB WAY, defensores de hábitos de consumo sustentáveis, são parceiros neste projeto de economia circular e têm estado a dar benefícios aos utilizadores da plataforma. Atualmente, a cadeia de supermercados tem a decorrer uma campanha para os vendedores, que podem ganhar 10€ em Cartão Continente.

 

O projeto está disponível em www.babyloop.pt ou no Instagram babyloop.pt, onde, em pouco mais de um mês, reuniu mais de 37 mil seguidores. Os interessados poderão também descarregar a app para uma compra ou venda mais fácil.

Artigo anterior

Jogos para Android destinados a públicos diferentes

Próximo artigo

Serões musicais regressam ao passado no Palácio da Pena