Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Ayurveda no quotidiano: hábitos e rotinas para o Vata

Ayurveda no quotidiano: hábitos e rotinas para o Vata

A base de qualquer dieta e terapêutica ayurvédica é a regra de opostos e semelhanças. A tendência natural do Vata é para aumentar. A dieta de redução de Vata incide na diminuição das qualidades de Vata: frio, seco, leve, rápido, áspero e irregular.

Pinterest Google+

O Vata é constituído de Ar e Éter, pelo que a sua constituição é naturalmente fria, leve, áspera e seca.  O Vata é muito fácil de desequilibrar, mesmo em pessoas com constituições predominantes Pitta e Kapha, devido à sua natureza volátil e influenciável pelas condicionantes externas. Nesses casos, surgem sintomas mistos de agravamento do Pitta e do Kapha, juntamente com o de um agravamento de Vata. Um estado de esgotamento do Vata é geralmente observado no agravamento do Kapha, que ocorre no corpo de Vata. Essas condições são raras e podem exigir o uso de alimentos que aumentam as propriedades do Vata.

 

Nesses casos, alimentos secos e leves são usados (a dieta pacificadora Kapha) por um curto período até que Vata recupere sua força. Os alimentos que equilibram e acalmam o Vata, lubrificam e nutrem os tecidos, preservando a humidade e mantendo o calor. Ao mesmo tempo, eles suportam digestão e eliminação adequadas.

 

A base de qualquer dieta e terapêutica ayurvédica é a regra de opostos e semelhanças. A tendência natural do Vata é para aumentar. A dieta de redução de Vata incide na diminuição das qualidades de Vata: frio, seco, leve, rápido, áspero e irregular. Para reduzir as qualidades naturais do Vata são recomendados alimentos que neutralizam essas qualidades, nomeadamente alimentos quentes, húmidos, oleosos, lisos e nutritivos para contrabalançar as qualidades fria e seca do Vata.

 

Detox do Vata

É importante iniciar um tratamento alimentar com um descanso, e uma limpeza do sistema digestivo, que pode ser feita através de um enema (clister de água morna e óleo de sésamo) ou hidrocólon. Esta limpeza permite um reajuste regular da mente, e produz uma sensação de grande alívio e libertação de acúmulo emocional. Recomenda-se a sua realização quatro vezes ao ano, a cada mudança de estação. No Inverno o detox pode ser feito em apenas um dia de descanso, consistido de fruta (da estação e adequada à constituição) cozida.

 

Quando o clima estiver mais quente (acima dos 20º C) fazer um pequeno detox de frutas durante um dia. O ideal é fazerem-se três refeições, nas quais poderá ingerir frutas frescas adequadas à constituição, e sumos de limão, uva, laranja, ananás, couve, aipo.  Pode acompanhar com água morna, ou infusões de Alfafa, Alcaçuz, Cevada, Borragem, Amora-silvestre, Bardana, Camomila, Chicória, Consolda, Dente-de-leão, Anis, Gengibre fresco, Hibiscos, Jasmim, Lavanda. Bálsamo de limão, Urtigas, espiga de Aveia, Hortelã-pimenta, Morangueiro, Violeta.

 

É aconselhável tomar sumo de aloé vera durante este período, pois esta é uma planta que purifica o sangue, e gera uma regeneração celular. Esta dieta deve ser repetida regularmente. O ideal é começar este detox na Primavera ou no Verão, sobretudo apenas quando o clima estiver solarengo, e com pouca humidade. É fundamental mastigar muito bem os alimentos. Se o detox for aplicado no Outono, há que substituir alguns dos frutos e vegetais, e adequá-los à Estação do ano, tendo-se a atenção de se evitar vegetais crus. Incluir a ingestão de salada de algas 2/3 vezes por semana, na proporção de 1 colher de sobremesa.

Evitar: chá preto, café, açúcar, farinha branca, produtos refinados, fritos, substâncias gordurosas, coalhadas, carne, condimentos e pickles.

Artigo anterior

Passa muito tempo sentado e com dores nas costas? Siga este este guia

Próximo artigo

A natureza impõe-se nas novas tendências de decoração