Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Ayurveda e a conceção: o lado espiritual da fertilidade

Ayurveda e a conceção: o lado espiritual da fertilidade

Na Ayurveda enfatiza-se o período de preconceção como tão ou mais importante que o próprio período da gravidez. Tomar tempo para a preconceção oferece a oportunidade de sonharmos e proporcionarmos o melhor de nós para a criança vindoura.

Pinterest Google+

Como, na verdade, em todos os grande projetos da nossa Vida, na Ayurveda considera-se que a conceção de  uma criança deve ser precedida de cuidados físicos e adequações de rotina diária, estabilização da relação emocional do casal e desenvolvimento da cumplicidade e suporte – tão necessário no pós-parto -, delineação de uma visão abrangente do processo, e foco no amor e na gratidão inerentes à responsabilidade que vem com esta escolha.

 

Na Ayurveda enfatiza-se o período de preconceção como tão ou mais importante que o próprio período da gravidez. Tomar tempo para a preconceção oferece a oportunidade de sonharmos e proporcionarmos o melhor de nós para a criança vindoura.

 

Neste processo ayurvédico de preconceção, são aproveitadas as capacidades naturais do corpo para a limpeza e renovação. Enfatizam-se também o papel do feminino e do masculino como igualmente relevantes.

 

Muito mais que o ato físico, a fertilidade começa no desejo do casal crescer, de formar uma família, de materializar o seu amor de forma física e concreta com a conceção de um bebé. Essa é uma vontade que nasce em duas almas, que convergem, unem-se, harmonizam-se, e que convidam uma nova alma a fazer parte do seu projeto na Terra, e do seu processo de evolução pessoal e espiritual.

 

Antes do corpo físico do pai e da mãe estarem verdadeiramente férteis, todas as suas dimensões mais subtis – emocional, mental e espiritual – devem ser alimentadas, nutridas, acarinhadas, de forma a que a sua conceção e materialização resulte numa criança que nasce numa consciência e nutrição maior gerada pelos seus pais.

 

Todos estes conceitos aplicam-se naturalmente a todos os atos de receber uma nova alma no seio familiar, seja no caso de fertilização in vitro, doações de esperma e óvulos, e na adoção de uma criança. Em qualquer dos caminhos torna-se necessária a preparação emocional e espiritual de quem recebe.

 

Os quatro elementos essenciais da fertilidade

Na Ayurveda existem quatro componentes essenciais que devem trabalhar juntos de forma ideal para que a conceção ocorra: tempo (Rtu), o campo (kshetra), fluidos e nutrição (ambu) e a semente (bija) .

 

Tempo (Rtu)

Começar a seguir a regularidade do ciclo menstrual na mulher, e determinar o tempo de ovulação é uma das formas como o casal começa a preparar-se física e emocionalmente para conceber. Na Ayurveda as estações do Ano são também tidas em conta já que a Natureza como um todo é mais fértil durante a primavera – as árvores germinam novamente, os ovos estão no choco e a  exuberância e suculência da primavera substitui a secura do inverno, sendo o Outono considerado a altura menos favorável para a conceção. Observam-se ainda fatores como a estabilidade na vida, no que se refere a responsabilidades e prosperidade, o equilíbrio social e momento político vivido no local onde os pais residem, já que a nova alma vai ser amplamente influenciada por todos estes fatores.

Artigo anterior

Como ser tornar numa mulher sexy (segundo uma sexóloga)

Próximo artigo

Tem sono de manhã? Dez truques para acordar com mais energia